Caixa eleva juros de financiamento habitacional

Com o aumento, os trabalhadores perdem uma das opções com taxas mais acessíveis para aquisição da casa própria

A Caixa anunciou neste mês o aumento dos juros de financiamento habitacional da linha pró-cotista, que utiliza recursos do FGTS. Essa era a opção mais acessível para o trabalhador que não se enquadra no Programa Minha Casa Minha Vida adquirir a casa própria.  Agora, com taxas entre 8,76% e 9,01% ao ano, a linha pró-cotista já está com juros mais elevados do que as taxas praticadas pelo Sistema Financeiro Habitacional (SFH), que é a partir de 8,75% ao ano.

Antes, a taxa praticada pela Caixa oscilava entre 7,85% e 9,01%. O aumento dos juros, além de fragilizar a liderança da Caixa nesse setor do mercado, também representa um afastamento do banco de um dos seus principais compromissos como banco público: facilitar o acesso da população à casa própria.

“Essa é mais um medida de enfraquecimento da Caixa como banco público, uma vez que faz ela perder espaço no mercado de financiamento habitacional para os bancos privados. Além disso, esse aumento penaliza a população, que terá ainda mais dificuldades para adquirir a casa própria. Apesar do aumento das taxas ter sido definido ainda no governo Temer,  diante das últimas declarações do novo presidente do banco devemos ficar em alerta, pois a  Caixa continuará sob ameaça de desmonte e privatização”, avalia a diretora do Sindibancários/ES, Rita Lima.

Imprima
Imprimir