Caixa lidera queixas no ranking do Banco Central no mês de julho

Na segunda-feira, 17, o Banco Central divulgou o ranking das instituições financeiras que mais receberam reclamações de clientes durante o mês de julho. Na lista, estão as que possuem mais de 2 milhões de clientes. Quem lidera o ranking é a Caixa Econômica, com 983 reclamações consideradas procedentes. Em segundo lugar está o Bradesco. Em […]

Na segunda-feira, 17, o Banco Central divulgou o ranking das instituições financeiras que mais receberam reclamações de clientes durante o mês de julho. Na lista, estão as que possuem mais de 2 milhões de clientes. Quem lidera o ranking é a Caixa Econômica, com 983 reclamações consideradas procedentes. Em segundo lugar está o Bradesco. Em terceiro, o HSBC.

Segundo a diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Lizandre Borges, o alto índice de queixas é reflexo da má qualidade no atendimento nas agências da Caixa. “A má qualidade não é culpa dos bancários, e sim, de problemas como a falta de funcionários. No primeiro semestre de 2015, a Caixa foi o banco que mais teve desligamento de empregados e ainda não fez a reposição de pessoal”, destaca Lizandre.

A afirmação da diretora do Sindibancários é comprovada pelos dados da pesquisa feita pela Contraf e pelo Dieese. O estudo aponta que, nos primeiros seis meses de 2015, a instituição financeira eliminou mais de 2 mil postos de trabalho. “Enquanto isso, cerca de 30 mil pessoas aprovadas num concurso para cadastro de reserva aguardam ser chamadas e a Caixa não dá nenhum sinal de que essas pessoas ocuparão as vagas”, diz Lizandre.

Ela destaca, ainda, que a Caixa está “empurrando” cada vez mais os clientes para fora das agências ao destinar determinados tipos de serviço aos correspondentes bancários. Além disso, não proporciona aos trabalhadores o acesso a uma tecnologia apropriada para o exercício de seu trabalho e, consequentemente, para o bom atendimento aos usuários de seus serviços. “Nas agências os bancários convivem com falhas na tecnologia, por exemplo, com sistemas lerdos, que não funcionam em pleno horário de atendimento ao cliente”, afirma Lizandre.

Imprima
Imprimir