Caixa manipula informações sobre proposta de reajuste

Em e-mail enviado aos bancários da Caixa a direção da Caixa alega que a proposta vergonhosa de reajuste da Fenaban representa “ganho” além dos 5,5%. No entanto, a explicação da Caixa não tem fundamento, uma vez que o abono proposto não será incorporado ao salário. A Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), que assessora a Contraf […]

Em e-mail enviado aos bancários da Caixa a direção da Caixa alega que a proposta vergonhosa de reajuste da Fenaban representa “ganho” além dos 5,5%. No entanto, a explicação da Caixa não tem fundamento, uma vez que o abono proposto não será incorporado ao salário. A Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), que assessora a Contraf e o Comando Nacional dos Bancários, cobrou esclarecimentos do banco sobre o e-mail enviado. Ofício foi enviado nessa segunda-feira, 28, ao gerente nacional de Informações Corporativas e Negociações Coletivas (GEING), José Isaac Arantes Freitas, que já se manifestou.

Na última coluna da tabela contida no e-mail, constam índices de reajustes que significam os 5,5% propostas pelos bancos acrescidos de R$ 192,30 mensais. Esse valor refere-se aos R$ 2.500 de abono, também oferecido pela Fenaban, divididos por 13. Um exemplo: a referência 201 do PCS teria aumento do vencimento de 14,23%, o que é equivocado. Na resposta encaminhada, a GEING informou que “o abono não possui caráter de incorporação salarial nos cargos efetivos e no Plano de Funções Gratificadas/Cargos em Comissão, bem como quaisquer reflexos em verbas e vantagens pessoais de qualquer natureza”.

MENTIRA - tabela reajuste

Para a diretora do Sindibancários/ES, Lizandre Borges, essa medida da Caixa é uma tentativa de desmobilizar a categoria nesta Campanha Salarial. “A Caixa está agindo de má fé e essa é mais uma forma de assédio institucional cometido pelo banco. Cada vez mais, a Caixa tenta coagir os bancários e bancárias utilizando de subterfúgios, como esse e-mail, para não garantir um índice de reajuste decente para a categoria. Não devemos manipulações. Queremos respeito às nossas reivindicações. Nossa resposta deve ser greve!”, enfatiza Lizandre.
Clique aqui e veja o ofício enviado à Caixa.

Negociação com a Caixa

O Comando Nacional dos Bancários ainda aguarda o agendamento de uma nova negociação específica com a Caixa. Em resposta ao ofício enviado na quinta-feira, 24 de setembro, o banco informou que não seria possível realizar a reunião na sexta-feira, mas ficou de avaliar e propor uma nova data. Nas quatro rodadas de negociação, a Caixa não atendeu nenhuma reivindicação da categoria.

CONFIRA TAMBÉM: Proposta do banco impõe retrocesso para a categoria

Com informações da Fenae

Imprima
Imprimir

Comentários