Caixa pratica venda casada na liberação do FGTS

As ofertas de produtos e serviços de forma inadequada estão entre os motivos que levaram a Caixa a ficar em primeiro lugar no ranking de reclamações de clientes de bancos entre abril e junho deste ano.

A prática de venda casada nas operações de liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) foi denunciada por clientes da Caixa Econômica Federal em matéria divulgada nesta segunda-feira, 24, no jornal Folha de São Paulo. O Procon paulista, entrevistado pela reportagem, alertou que a venda casada é irregular e que os trabalhadores podem se negar a contratar e devem recorrer aos órgãos de defesa do consumidor.

Apesar da negativa da Caixa, que afirmou ao jornal que essa não é a “política de atendimento do banco”, aqui no Espírito Santo também é possível constatar que os bancários são orientados sim a tentar vender produtos para os trabalhadores que procuram as agências para sacar o FGTS.

Segundo o técnico bancário da agência Vila Rubim e diretor do Sindicato, Igor Bongiovani Tavares de Vasconcellos, os empregados são orientados a oferecer seguros e títulos de capitalização com a promessa de maior agilidade na liberação dos recursos do FGTS. Ele afirma que a venda casada não acontece apenas na liberação dos recursos do fundo, mas em outras operações do banco.

Na abertura de contas correntes, por exemplo, os bancários têm metas a cumprir no chamado CCCS – sigla que refere-se a cheque especial, crédito direto ao consumidor, cartão de crédito e seguridade (previdência e seguros de vida, de automóvel e títulos de capitalização). Se não forem vendidos um ou mais desses produtos, a abertura da conta é recusada com a justificativa de “ausência de interesse comercial”. A venda casada, inclusive, ajuda na pontuação das agências. “Fica todo mundo no desespero para cumprir as metas”, afirma o diretor do Sindicato.

Outro exemplo de venda casada é no caso de empréstimos. Valores maiores, que são submetidos à aprovação do Comitê de Crédito da Superintendência Regional, só são aprovados se estiverem vinculados à compra de seguros. Caso contrário, o banco nega sem piedade. Assim, os bancários já são orientados a vender o seguro no momento em que estão fazendo a operação.

Ranking do Bacen

As ofertas de produtos e serviços de forma inadequada estão entre os motivos que levaram a Caixa a ficar em primeiro lugar no ranking de reclamações de clientes de bancos entre abril e junho deste ano.  A Caixa ficou à frente dos bancos Santander, Bradesco, Banco do Brasil e Itaú, nesta ordem.

Imprima
Imprimir