Caixa quer impor promoção por mérito

Em mais uma tentativa de impor uma gestão opressora, a Caixa quer vincular a sistemática de promoções ao cumprimento de metas e às Aregs (Autorização de Regularização do Ponto Eletrônico). A proposta do banco foi discutida no primeiro debate sobre a promoção por mérito com os representantes dos trabalhadores na comissão paritária do Plano de […]

Em mais uma tentativa de impor uma gestão opressora, a Caixa quer vincular a sistemática de promoções ao cumprimento de metas e às Aregs (Autorização de Regularização do Ponto Eletrônico). A proposta do banco foi discutida no primeiro debate sobre a promoção por mérito com os representantes dos trabalhadores na comissão paritária do Plano de Cargos e Salários (PCS), que rejeitaram a ideia.

A realização da sistemática de promoção por mérito neste ano, com as consequentes promoções em 2016, é uma conquista da Campanha Salarial 2014, que foi obtida após a mobilização e pressão da categoria contra o banco. A Caixa quer ainda atrelar a concessão dos deltas por merecimento à resolução do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, de outubro de 1996, que estabelece que o valor total a ser investido pelas empresas públicas com promoção fica limitado a 1% da folha de pagamento.

“Diferente da corrente majoritária, nossa defesa é a de que todos os empregados tenham direito a receber um delta, porque todos os bancários contribuem para o crescimento do banco. Além disso, a forma como a Caixa propõe a realização da avaliação sistemática, será mais um instrumento de assédio e de pressão contra os bancários. A Caixa tenta impor uma gestão similar ao que, infelizmente, temos nos bancos privados. Mas não vamos aceitar”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES e bancária da Caixa, Lizandre Borges.

Transparência

A comissão foi criada para debater e formular uma proposta de critérios para o exercício de 2015 e uma nova reunião será realizada no dia 04 de fevereiro. Os representantes dos empregados solicitaram mais informações à Caixa para subsidiar a próxima discussão.

Foi solicitado, por exemplo, detalhamento sobre o quantitativo de promovíveis e os critérios de pontuação. A expectativa dos trabalhadores é que as regras sejam definidas o mais rápido possível, a fim de que os empregados tomem conhecimento ainda no primeiro trimestre deste ano.

Representam os empregados na comissão: Elvira Ribeiro Madeira (Seeb/CE), Genésio Cardoso (Fetec/PR), Leonardo dos Santos Quadros (Fetec/SP), Silvio Antônio Kuniyoshi (Feeb/SP-MS), Vanessa Sobreira Pereira (Sindicato dos Bancários de Brasília) e Wandeir Souza Severo (Fetec/Centro Norte).

Com informações da Fenae.

Imprima
Imprimir