Caixa tem aumento de 60% no lucro

A Caixa encerrou o terceiro trimestre de 2015 com lucro de R$ 3 bilhões, uma alta de 60% sobre o mesmo período do ano passado e de 57% em relação aos três meses anteriores. Os valores foram divulgados pelo banco nesta sexta-feira, 20, e reforçam que não há motivos para a Caixa se negar a […]

A Caixa encerrou o terceiro trimestre de 2015 com lucro de R$ 3 bilhões, uma alta de 60% sobre o mesmo período do ano passado e de 57% em relação aos três meses anteriores. Os valores foram divulgados pelo banco nesta sexta-feira, 20, e reforçam que não há motivos para a Caixa se negar a contratar mais empregados e garantir melhores condições de trabalho.

“Todo esse lucro a Caixa alcançou às custas do adoecimento dos bancários e bancárias. Mesmo com esse lucro gigantesco, o banco negou a contratação de mais bancários e a garantia de melhores condições de trabalho na nossa Campanha Salarial. Chamamos a atenção dos bancários para a necessidade de continuarmos mobilizados e de pressionar a Caixa a mudar sua forma de gestão”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Rita Lima. 

Somente neste ano, cerca de 3 mil trabalhadores foram desligados da Caixa por meio do Plano de Apoio à Aposentadoria (PPA), o que agravou ainda mais a situação de escassez de empregados no banco. Além disso, de acordo com o levantamento do Banco Central divulgado na última segunda-feira, 16, a Caixa ocupa o primeiro lugar no topo da lista dos bancos com maiores índices de reclamações de clientes. 

“Ao manter uma gestão focada apenas no lucro, a Caixa demonstra um total desrespeito aos seus trabalhadores e clientes. É inaceitável que mesmo com lucro crescendo cada vez mais, a Caixa abrir mão do papel social que ela deve cumprir com a sociedade”, destaca a diretora do Sindibancários/ES, Lizandre Borges.

Lucro

De janeiro a setembro, o lucro líquido alcançou R$ 6,5 bilhões – uma alta de 23,23% em relação aos nove primeiros meses de 2014. Segundo a Caixa, a carteira de crédito ampla avançou 15,5% em 12 meses e 2,8% no trimestre. Seu saldo alcançou R$ 666,1 bilhões, representando 20,9% do mercado. O crédito habitacional continuou a ser o principal destaque, com evolução de 17,2% em relação a setembro de 2014 e de 2,5% no trimestre, saldo de R$ 375,7 bilhões e 67,5% de participação no mercado.

Com informações do site G1.

Imprima
Imprimir

Comentários