Câmara vota nesta quarta autorização para abertura de processo contra Temer

Abertura do processo precisa de aprovação de 2/3 dos deputados, o que significa o voto de 342 do total de 513. Michel Temer é acusado de crime de corrupção passiva nas investigações decorrentes da delação de Joesley Batista, do grupo J&F.

Nesta quarta-feira, 2, o plenário da Câmara Federal começa a votar o parecer da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) contrário à autorização para que o Supremo Tribunal Federal analise denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, por crime de corrupção passiva. A sessão começa às 9h.  Conforme a Constituição, o processo contra o presidente por crime comum só pode ser aberto com aval de 2/3 dos deputados, o que significa o voto de 342 do total de 513.

Michel Temer foi denunciado ao Supremo pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pelo crime de corrupção passiva nas investigações decorrentes da delação de Joesley Batista, do grupo J&F. Ele foi acusado de ser beneficiário dos recursos entregues pela empresa ao ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, que havia sido assessor especial da Presidência da República.

Em julho, a CCJ aprovou o parecer contrário ao andamento das investigações. O texto vencedor, por 41 votos a 24, foi o do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), que rejeita a Solicitação para Instauração de Processo (SIP) 1/17 encaminhada pelo Supremo à Câmara após denúncia de Janot.

Mobilização

Em todo o país, movimentos sociais estão se mobilizando para pedir que o presidente seja julgado pelo crime de corrupção passiva.

Com informações da Câmara Federal

Imprima
Imprimir