Campanha Salarial dos bancários toma as ruas do Centro de Vila Velha

Três rodadas de negociação entre o Comando Nacional e a Fenaban já foram realizadas, mas a Federação Nacional dos Bancos não apresentou nenhum avanço no debate das reivindicações dos trabalhadores

AcaoSindical-VilaVelha-CampanhaSalarial

Em mais uma ação da Campanha Salarial, diretoras e diretores do Sindibancários/ES circularam hoje pelas agências dos bancos públicos e privados do Centro de Vila Velha. Além da distribuição de panfletos sobre as principais reivindicações da categoria, também foi realizada esquete teatral dentro das agências, que abordou os principais problemas que atingem a categoria bancária, como cobrança por metas, assédio moral, demissões, entre outros.

Acao-SindicalVilaVelha-CampanhaSalarial2016

“Estamos visitando as agências da Grande Vitória e a ação sindical é importante para dialogar com bancários e os clientes. A forma de gestão dos bancos oprime cada vez mais os empregados, que sofrem com sobrecarga de trabalho, pressão por metas e assédio moral. Por outro lado, os clientes também são explorados, pois recebem atendimento precarizado, enfrentam longa filas, são expulsos das agências e empurrados para atendimento em máquinas, enquanto continuam pagando altas taxas de serviços e juros”, destaca o coordenador do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Três rodadas de negociação entre o Comando Nacional e a Fenaban já foram realizadas, mas a Federação Nacional dos Bancos não apresentou nenhum avanço no debate das reivindicações dos trabalhadores. Uma reunião está marcada para a próxima segunda-feira, 29.

Confira as principais reivindicações da Campanha Nacional 2016

•    Reajuste salarial: 14,78% (incluindo reposição da inflação mais 5% de aumento)
•    PLR: 3 salários mais R$8.317,90
•    Piso: R$3.940,24 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).
•    Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/ babá no valor de R$880,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).
•    Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral.
•    Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Fede- ral, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.
•    Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários.
•    Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.
•    Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação.
•    Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas.
•     Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários.
•    Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Imprima
Imprimir

Comentários