Campanha salarial ganha as ruas em todo o Estado

Após o lançamento em Vitória, realizado no último dia 14, a Campanha Nacional 2015 ganha as ruas em todo o Estado. Nesta quarta-feira, 19, atividades serão realizadas no Centro de Vila Velha a partir das 9h30. Na quinta-feira, 21, será a vez dos bancários da Reta da Penha. No dia 26 de agosto, acontecem três […]

Após o lançamento em Vitória, realizado no último dia 14, a Campanha Nacional 2015 ganha as ruas em todo o Estado. Nesta quarta-feira, 19, atividades serão realizadas no Centro de Vila Velha a partir das 9h30. Na quinta-feira, 21, será a vez dos bancários da Reta da Penha.

No dia 26 de agosto, acontecem três eventos simultâneos: em Cachoeiro de Itapemirim, Linhares e Colatina. No Dia da Bancária e do Bancário, 28 de agosto, diretores do Sindicato estarão em Laranjeiras e Campo Grande. Assim como no lançamento, esquete teatral, panfletagem e banda de música dão o tom das ações sindicais.

O slogan local da campanha dos bancários é “Juntos e fortes para avançar nas conquistas”. A marca foi inspirada no ditado popular que diz “Caititu fora da manada é comida de onça”, numa alusão à necessária união dos trabalhadores para enfrentar os desafios das negociações com os banqueiros.  

A data-base dos bancários é 1º de setembro. A pauta de reivindicações da categoria foi entregue à Federação Nacional dos Bancos no último dia 11. A primeira negociação com os banqueiros está prevista para o dia 19 de setembro, quando entram em debate as cláusulas sobre emprego.

Neste ano, a categoria reivindica reajuste de 16%, valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.325,37em julho), PLR de três salários mais R$ 7.246,82, defesa do emprego, melhores condições de trabalho, fim da terceirização e combate às metas abusivas e ao assédio moral.

Bancos públicos

Nos bancos públicos, além das reivindicações gerais, existem as pautas específicas já entregues ao Banco do Brasil, à Caixa Econômica Federal e ao Banestes. Na Caixa, as principais reivindicações são contratação de pessoal, melhoria das condições de trabalho, o fim do programa Gestão de Desempenho de Pes­soas (GDP) e o combate ao assé­dio moral e sexual. Entre as reivindicações dos funcionários do Banco do Brasil estão plano de cargos e salários com intervalos de 6%, fim do descomissionamento e da la­teralidade. No Banestes, os bancários reivindicam reajuste salarial de 25,55%, sendo 9,17% referentes à inflação estimada do período (setembro de 2014 a agosto de 2015) e 15% à rentabilidade do seu patrimônio líquido.

Imprima
Imprimir

Comentários