Centro de Vitória recebe ato unificado contra desmontes do serviço público

Diversos sindicatos, incluindo o Sindibancários/ES, realizaram panfletagens e conversas com a população explicando as medidas do governo federal que atingem diretamente os serviços públicos. A caminhada foi encerrada na Praça Costa Pereira.

Atividade unificada contra os desmontes do serviço públicos foi realizada na manhã desta terça-feira, dia 10, no Centro de Vitória. Diversos sindicatos, incluindo o Sindibancários/ES, realizaram panfletagens e conversas com a população explicando as medidas do governo federal que atingem diretamente os serviços públicos. A caminhada foi encerrada na Praça Costa Pereira.

“Esta ação visa defender os serviços públicos nas suas diversas áreas. O governo quer precarizar cada vez mais a educação pública, sucateando as universidades. Somos nós, os trabalhadores, que atendemos à população e estamos com salários achatados, sem concurso público. Precisamos intervir coletivamente e interromper essa lógica perversa”, afirmou dirigentes do Sindibancários/ES, Carlos Pereira de Araújo (Carlão).

Wellington Pereira, dirigente do Sintufes, sinalizou inclusive um indicativo de greve dos trabalhadores administrativos da Ufes para o próximo dia 23 deste mês. “Se o governo soltar de vez o tabelão que está sendo prometido congelando os salários, nós provavelmente teremos uma greve dos trabalhadores técnicos da Ufes”, enfatiza Pereira.

Campanhas contra desmontes

Entre as pautas apresentadas à população estão as lutas contra os desmontes nos serviços de saúde pública e da previdência federal, além das campanhas em defesa dos bancos públicos, como a da Caixa e do Banco do Brasil. No Espírito Santo, o Sindibancários/ES vem colocando na rua constantemente a campanha pelo Banestes público e estadual. O banco que contribui para o desenvolvimento do Estado movimentando a economia das microregiões, gerando empregos diretos e indiretos.

No caso da educação, uma campanha intitulada Conhecimentos sem Cortes vem sendo realizada nacionalmente, denunciando cortes no orçamento da educação, ciência e tecnologia de mais de R$ 12,4 bilhões, desde 2015. Essa campanha é uma iniciativa liderada por associações de docentes de quatro instituições federais de ensino superior: UFRJ, UnB, UFMG e IFRJ.

Também participaram do ato unificado o Sindipúblicos, Sindiprev, Intersindical, a Associação Nacional dos Servidores da Incaper (ASSIN), além da Frente Capixaba em Defesa da Previdência Pública.

Imprima
Imprimir