Comando Nacional entrega minuta da Campanha Salarial aos bancos

O Comando Nacional dos Bancários entregou na manhã desta segunda-feira,11, à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) , em São Paulo, a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2014, aprovada pela 16ª Conferência Nacional dos Bancários realizada de 25 a 27 de julho, em Atibaia, São Paulo. A pauta de reivindicações da Campanha Nacional 2014 inclui […]

O Comando Nacional dos Bancários entregou na manhã desta segunda-feira,11, à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) , em São Paulo, a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2014, aprovada pela 16ª Conferência Nacional dos Bancários realizada de 25 a 27 de julho, em Atibaia, São Paulo.

A pauta de reivindicações da Campanha Nacional 2014 inclui reajuste de 12,5%, piso de R$ 2.979, mais saúde e melhores condições de trabalho, preservação do emprego, fim da rotatividade e prevenção contra assaltos e sequestros. A primeira rodada de negociação já foi marcada para os dias 19 e 20 de agosto, sobre o tema saúde e condições de trabalho. 

O coordenador geral do Sindibancários/ES, Carlos Pereira de Araújo (Carlão) foi eleito durante assembleia, no último dia 07, para representar os bancários capixabas no Comando Nacional dos Bancários e participou da entrega da minuta. “A expectativa é de que neste ano haja negociação pra valer. Durante a entrega da minuta, salientamos que os bancários convivem com graves problemas como o adoecimento, assédio moral e as demissões, principalmente nos bancos privados. Enquanto isso, o lucro dos bancos cresce a cada ano. Portanto não há motivo para não atender a pauta”, destaca Carlão.

Na sequência, também na sede da Fenaban, o Comando entregará a pauta específica de reivindicações dos empregados à direção da Caixa Econômica Federal, assim como a minuta específica dos funcionários à direção do Banco do Brasil.

A Campanha Nacional dos Bancários deste ano tem como eixos centrais reajuste de 12,5%, valorização do piso salarial no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 2.979,25 em junho), PLR maior, mais empregos, fim da terceirização, combate às metas abusivas e ao assédio moral, segurança contra assaltos e sequestros, e igualdade de oportunidades, dentre outras demandas.

Banestes e Bandes

As minutas do Banestes e do Bandes aprovadas durante a assembleia no último dia 07, no auditório do Sindicato dos Bancários/ES, serão entregues nesta quarta-feira, 13. Entre as propostas da minuta dos banestianos estão aumento de seis dias de abono assiduidade, função gratificada para os funcionários que trabalham com fechamento contábil, aumento percentual da contribuição do patrocinador de 7% para 15% para a Fundação Banestes e adoção de critérios objetivos nas seleções internas do Banco.

Já a pauta de reivindicações dos empregados do Bandes tem como principais eixos a participação nos resultados sociais, promoção por tempo de serviço, política de méritos que atenda aos anseios dos trabalhadores, definições de critérios claros para acessibilidade a cargos e abono assiduidade de cinco dias e abono aniversário.

Principais reivindicações da Campanha Nacional

  • Reajuste salarial de 12,5%.
  • PLR: três salários mais R$ 6.247.
  • Piso: R$ 2.979,25 (salário mínimo do Dieese em valores de junho).
  • Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 724,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).
  • Melhores condições de trabalho, com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.
  • Emprego: fim das demissões e da rotatividade, mais contratações, proibição às dispensas imotivadas, aumento da inclusão bancária, combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PL 4330 na Câmara Federal, do PLS 087 no Senado e do julgamento de Recurso Extraordinário com Repercussão Geral no STF.
  • Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários.
  • Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós-graduação.
  • Prevenção contra assaltos e sequestros: cumprimento da Lei 7.102/83 que exige plano de segurança em agências e PABs, garantindo pelo menos dois vigilantes durante todo o horário de funcionamento dos bancos; instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento das agências; e fim da guarda das chaves de cofres e agências por bancários.
  • Igualdade de oportunidades para todos, colocando fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência.

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir