Comitê estadual: entidades pensam estratégias contra a privatização da Caixa

No encontro, entidades discutiram como mobilizar ativos e aposentados, além de dialogar com toda a sociedade sobre a importância de manter a Caixa como patrimônio público

Aconteceu na tarde desta segunda-feira, 06, a primeira reunião do Comitê Estadual em Defesa da Caixa para planejar as ações da campanha “Defenda a Caixa você também” no Espírito Santo.

Participaram do encontro representantes do Sindibancários/ES, da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcef/ES), da Associação dos Economiários Aposentados (AEA), Associação dos Advogados da Caixa Econômica Federal (Advocef), Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da Caixa (Aneac) e Associação dos Gerentes da Caixa (Agecef).

Entre os encaminhamentos, foi definido fortalecer as quartas-feiras como Dia Nacional em Defesa das Caixa, vestindo a camisa da campanha; mobilizar ativos e aposentados com reuniões nas entidades e locais de trabalho; produzir uma carta aberta à sociedade sobre a importância da Caixa; realizar audiências públicas e coletar assinaturas nos locais de trabalho para o abaixo-assinado nacional.

O Sindicato destacou as orientações do Comitê Nacional da Campanha e falou sobre a urgência em fortalecer a defesa da Caixa em todo o Estado. “A abertura de capital da Caixa pode retornar à pauta a qualquer tempo. Enquanto isso, o governo planeja fatiar o banco, desvinculando segmentos que são atrativos para o mercado, como as loterias (Lotex) e o Fundo de Garantia. O governo é o patrono da proposta de privatização, mas conta com o apoio do atual presidente da Caixa, Gilberto Occhi. Por isso a resistência dos empregados, é tão importante. Só conseguiremos ampliar essa luta se os empregados estiverem envolvidos e mobilizados”, destacou Rita Lima, diretora da entidade.

As entidades também deram destaque para a construção da unidade da categoria em torno da pauta. “Nossas associações representam segmentos diferentes, mas nessa pauta o interesse é comum, por isso temos que estar juntos. Sem a Caixa não há Saúde Caixa, Funcef, nada”, salientou Deosinedes Mognato, presidente da Agecef.

O representante da Advocef, Ângelo Ricardo Alves da Rocha, também apontou a necessidade de unificar a luta em defesa das empresas públicas, numa conjuntura de desmonte completo do patrimônio estatal. “Precisamos pensar nossa luta em defesa do patrimônio público em geral, afinal, várias empresas públicas estão sob risco. É hora de unir bancários da Caixa, petroleitos, empregados dos Correios, da Eletrobras, da Infraero etc. Dialogar com toda a sociedade e mobilizar a opinião pública sobre a importância das estatais”, disse Rocha.

Imprima
Imprimir