Compensação de horas é limitada a uma hora por dia

Bancário e bancárias da Caixa devem ficar atentos: a compensação de horas não trabalhadas em função da greve deve ser de no máximo uma hora por dia, conforme prevê a Convenção Coletiva de Trabalho 2015-2016, assinada nessa terça-feira, 04. A compensação será até o dia 15 de dezembro e deve ser feita de acordo com […]

Bancário e bancárias da Caixa devem ficar atentos: a compensação de horas não trabalhadas em função da greve deve ser de no máximo uma hora por dia, conforme prevê a Convenção Coletiva de Trabalho 2015-2016, assinada nessa terça-feira, 04. A compensação será até o dia 15 de dezembro e deve ser feita de acordo com a disponibilidade do empregado e da real necessidade de serviço.

Em e-mail enviado aos gestores, nessa terça-feira, 03, a Caixa tenta impor aos bancários a obrigatoriedade da reposição das horas, distorcendo totalmente a redação da CCT. “Essa atitude da Caixa é um desrespeito aos seus empregados, ao Acordo Coletivo da categoria e uma prática antissindical. Os bancários não podem aceitar esse tipo de pressão e devem denunciar qualquer assédio que venham a sofrer e de desrespeito ao que está previsto na Convenção”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Lizandre Borges.

Os bancários e bancárias não são obrigados, portanto, a compensar todas as horas não trabalhadas decorrentes da greve. Conforme está registrado a Convenção Coletiva, as horas não compensadas até o dia 15 de dezembro serão abonadas. O bancário e a bancária que tiver dúvidas sobre a forma de compensação de horas ou sofrer qualquer tipo de pressão para trabalhar além do que foi acordado, deve procurar o Sindibancários/ES para receber orientação e denunciar o desrespeito ao Acordo. 

Confira a cláusula da CCT 2015/2016 sobre compensação de horas:

CCT - CONTRAF 2015-20. compensação das horas

Imprima
Imprimir