Fechamento de posto de atendimento do Banestes gera revolta

O Banestes fechou o posto de atendimento do distrito de Piaçu, em Muniz Freire, prejudicando os moradores do local

O Banestes terminou o ano de 2016 com uma atitude que revoltou os moradores do distrito de Piaçu, em Muniz Freire. No dia 29 de dezembro foi fechado o posto de atendimento da instituição financeira, que funcionava no local há 37 anos. Por causa disso a comunidade realizou um protesto que envolveu produtores rurais, comerciantes e outros trabalhadores e trabalhadoras que estão sendo prejudicados com a iniciativa do banco.

Em protesto, moradores de Piaçu pedem respeito à comunidade

Com o fechamento do posto de atendimento, os clientes terão que se deslocar para a agência do Banestes mais próxima, que fica no centro de Muniz Freire, a 18 Km de Piaçu. O ônibus que vai para lá passa de 4 em 4 horas.

“Precisamos do posto de atendimento. A maioria dos aposentados recebe pelo Banestes. Os pagamentos de conta também são feitos lá. Além disso, o fechamento prejudica o comércio, pois se as pessoas tiverem que se deslocar para o centro para receber o salário acabarão fazendo suas compras por lá. Aqui tem correspondente bancário, mas não atende nossas necessidades. O trabalho do correspondente tem muitas restrições, como o limite de valor no pagamento de boleto”, diz a bióloga e moradora de Piaçu Valquíria Alves Bicalho Areas.

Reunião com o Banestes

O Sindibancários participou da reunião na matriz Nossa Senhora da Conceição

Na terça-feira, 03, a comunidade realizou uma reunião com o Banestes na Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, em Piaçu. Estiveram presentes o diretor comercial do banco, Alexandre Ceotto; os diretores do Sindicato dos Bancários/ES, Jonas Freire e Paulo Soares; o pároco Carlos Renato de Carvalho, a senadora Rose de Freitas (PMDB), a deputada estadual Luzia Toledo (PMDB), o prefeito de Muniz Freire, Dr. Carlinhos; e moradores de Piaçu, que lotaram a igreja.

“Ficou acordado durante a reunião que o diretor comercial levaria para o Banestes a proposta de deixar o posto de atendimento aberto por mais 90 dias. Posteriormente, ele seria transferido para um espaço maior, pois os moradores reclamam da falta de infraestrutura. O banco alega que o posto de atendimento não dá lucro. Porém, o Banestes, enquanto banco público, precisa cumprir sua função social. E é importante destacar que o lucro do Banestes tem crescido a cada ano que passa. Só no primeiro semestre de 2016 ele foi de R$ 84,7 milhões, segundo informações divulgadas pela própria instituição financeira”, diz o coordenador geral do Sindibancários, Jonas Freire.

O Sindibancários aguarda uma resposta do banco em relação à proposta feita. A entidade também cobra a reabertura imediata do posto de atendimento diante da importância que ele tem para o desenvolvimento do distrito de Piaçu.

Imprima
Imprimir