Conferência Estadual define prioridades para a Campanha Nacional 2017

Também foram aprovadas duas moções. Uma foi de repúdio à chacina de Pau d’Arco, no Pará, onde 10 militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra foram assassinados. A outra, de solidariedade à ocupação Chico Prego, instalada no antigo prédio do IAPI, no Centro de Vitória.

Votação da tese, ocorrida na manhã do domingo, 25

A Conferência Estadual dos Bancários foi encerrada na manhã do domingo, 25, com o balanço da Campanha Salarial 2016 e apresentação das teses e definição dos eixos e estratégias para a Campanha 2017. O evento, que começou no dia 23, aconteceu no Hotel Praia Sol, em Nova Almeida, na Serra.

Foram definidos como prioridades da Campanha Nacional deste ano a luta contra a terceirização dos serviços bancários, a promoção de igualdade de oportunidades, a defesa da jornada de seis horas, o fim das metas, a defesa do emprego, a isonomia, saúde e segurança bancária e a defesa dos bancos públicos.

O acordo bianual da categoria também foi avaliado e terá influência sobre a estratégia de mobilização dos bancários.

“Nos orgulhamos tanto de dizer que somos a única categoria que tem uma Convenção Coletiva Nacional, exemplo para as outras, mas com o acordo de dois anos corremos o risco de fragilizar a mobilização dos bancários e bancárias, principal categoria de luta organizada desse país, o que é prejudicial ainda mais nesse momento de retirada de direitos”, diz.

No entanto, foi destacado durante a Conferência que o acordo de dois anos não impede as negociações nem uma greve dos trabalhadores e trabalhadoras, e que nesse contexto de ameaças à CLT,  a mobilização dos bancários deve ser fortalecida para incluir na Convenção Coletiva direitos estratégicos.

“Temos que apresentar uma minuta com texto em relação a emprego, por exemplo, com o objetivo de impedir a contratação de trabalhadores e trabalhadoras terceirizados, já que a terceirização nas atividades fim foi aprovada. Outro ponto importante é a questão das agências digitais e tantas outras formas de contratação precária, como as previstas na reforma trabalhista”, declara.

As propostas e reivindicações aprovadas na Conferência Estadual serão encaminhadas para debate na Conferência Interestadual dos Bancários do Rio de Janeiro e Espírito Santo e, posteriormente,  para a Conferência Nacional dos Bancários e das Bancárias, que definirá a minuta da categoria.

Moções

Durante a Conferência Estadual dos Bancários foram aprovadas por unanimidade moções de repúdio à chacina de Pau d’Arco, no Pará, onde 10 militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra foram assassinados (Acesse aqui), e em solidariedade à ocupação Chico Prego, instalada no antigo prédio do IAPI, no Centro de Vitória (Acesse aqui), que luta por moradia.

Principais eixos da campanha:

Contra a terceirização dos serviços bancários
Promoção de igualdade de oportunidades
Defesa da jornada de seis horas
Fim das metas
Defesa do emprego
Saúde do trabalhador
Segurança bancária
Isonomia
Defesa dos bancos públicos

Eixos políticos da classe trabalhadora:

Fora Temer e eleições gerais já!
Auditoria da Dívida Pública já!
Estatização do sistema financeiro
Ratificação da Convenção 158 da OIT
Contra as reformas trabalhista e da Previdência
Contra a terceirização
Punição a todos os corruptos

Confira a galeria de imagens da Conferência. 

Imprima
Imprimir