Contra a terceirização, diretores do Sindibancários/ES abordam deputados no aeroporto

Com a possibilidade de votação do PL 4.302/1998, na Câmara, diretores do Sindibancários/ES se reuniram no aeroporto de Vitória para pressionar os deputados capixabas a votarem contra o projeto

Para pressionar o voto contra o PL 4.302/1998, da terceirização ilimitada, os diretores do Sindibancários/ES abordaram dos deputados capixabas Evair de Melo (PV), Dr. Jorge Silva (PHS), Helder Salomão (PT), Givaldo Vieira (PT) e Sérgio Vidigal (PDT) no aeroporto de Vitória na manhã desta terça-feira (07). O Projeto seria votado na Câmara nesta terça-feira, 07, mas foi retirado da pauta.

Dos cincos deputados abordados, apenas Helder Salomão (PT), Givaldo Vieira (PT) e Sérgio Vidigal (PDT) declararam voto contrário ao projeto. Já os parlamentares Evair de Melo (PV) e Dr. Jorge Silva (PHS) não se comprometeram em votar “não” ao projeto e com a defesa dos trabalhadores.

“Hoje, tivemos mobilização em vários estados do país para pressionar os deputados contra o PL 4.302/1998. A ação foi importante, inclusive, para o adiamento da votação desse projeto que é perverso, libera a terceirização irrestrita no país e vai promover a precarização total do trabalho. Nossa luta continua e temos que nos mobilizar para derrotar de vez tanto o PL 4.302/1998 como o PLC 30, que está no Senado e também libera a terceirização irrestrita no Brasil”, enfatiza o diretor do Sindibancários/ES, Jessé Alvarenga.

 

Durante a com os parlamentares no aeroporto, o deputado Evair de Melo não quis declarar seu posicionamento em relação ao projeto. A todo momento, respondeu aos diretores do sindicato com indagações se eram proprietários de terra e caso fossem, saberiam da “importância” do projeto.

“As declarações do deputado deixam evidente de que lado ele está e com quem ele tem compromisso: com os grandes proprietários de terra. Nos identificamos como representantes dos trabalhadores e, mesmo assim, ele insistiu em fazer em questionar se erámos donos de terra, o que mostra que seu posicionamento não será em defesa dos trabalhadores do Brasil”, destaca o diretor do Sindibancários/ES, Fabricio Coelho.

Votação adiada

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, retirou da pauta a de votações o PL 4.302/1998. Com isso a ida dos sindicalistas à Brasília, para pressionar contra a aprovação, prevista para esta terça-feira (7), foi suspensa.

O PL libera os empresários para adotarem a terceirização de forma ilimitada, inclusive em suas atividades-fim, um duro ataque à CLT, que significará rebaixamento salarial, precarização das condições de trabalho e enfraquecimento da organização representação dos trabalhadores.

Segundo as informações o presidente da Câmara tratará do assunto com os líderes dos partidos. Assim que houver qualquer movimentação no sentido de colocar o projeto em pauta de votação, haverá nova mobilização dos dirigentes sindicais para a para pressionarem o Congresso Nacional.

Imprima
Imprimir