Cresce greve no Banco do Brasil com adesão de comissionados

A greve dos bancários do Banco do Brasil continua crescendo em todo o Estado. Ao todo, já são 84 agências paralisadas somente no BB. E nesta semana, o movimento paredista ganhou novo fôlego com a crescente adesão dos comissionados, tanto das unidades varejo, como alta renda e Suporte. A expectativa é de ampliação da paralisação. […]

A greve dos bancários do Banco do Brasil continua crescendo em todo o Estado. Ao todo, já são 84 agências paralisadas somente no BB. E nesta semana, o movimento paredista ganhou novo fôlego com a crescente adesão dos comissionados, tanto das unidades varejo, como alta renda e Suporte. A expectativa é de ampliação da paralisação.

“Vários bancários comissionados decidiram romper o silêncio e aderir à greve da categoria, paralisando também as atividades. Com novos colegas nesse luta, somando forças no movimento paredista, a expectativa é de um acordo melhor nas negociações. Por isso, chamamos à luta todos os trabalhadores que ainda não aderiram à greve”, afirma Thiago Duda, bancário do BB e diretor do Sindicato/ES.

Nacionalmente a greve dos comissionados também cresce. Na capital de Santa Catarina, Florianópolis, mais de 105 comissionados de agência do BB paralisaram as atividades, 40% assistentes de negócios e 60% gerência média. Além disso, na PSO, 76% dos gerentes aderiram à greve na última segunda-feira, dia 30, fortalecendo ainda mais o movimento dos bancários. A paralisação é semelhante nos estados da Bahia e Ceará.

Proposta da Fenaban é rejeitada

Nesta quinta-feira, a Fenaban apresentou contraproposta de apenas de 7,1% de reajuste salarial, 7,5% sobre o piso de ingresso, além de PLR fixa no valor de 10%. O Comando Nacional dos Bancários rejeitou a proposta – considerada uma provocação — e orientou a manutenção e ampliação da greve por tempo indeterminado.

Imprima
Imprimir