Cresce para 198 o número de agências fechadas na greve dos bancários

A greve dos bancários está ganhando cada vez mais força com a crescente adesão dos trabalhadores. O número de agências fechadas subiu de 170 para 198 nesta sexta-feira, 20, segundo dia da paralisação dos bancários. Dessas, 66 são de municípios do interior. Na Grande Vitória, 34 agências da Caixa e sete departamentos estão paralisados. No […]

A greve dos bancários está ganhando cada vez mais força com a crescente adesão dos trabalhadores. O número de agências fechadas subiu de 170 para 198 nesta sexta-feira, 20, segundo dia da paralisação dos bancários. Dessas, 66 são de municípios do interior.

Na Grande Vitória, 34 agências da Caixa e sete departamentos estão paralisados. No Banco do Brasil a quantidade de agências fechadas é a mesma, além do prédio da Pio XII, onde funcionam três agências e departamentos da instituição financeira. Entre as instituições financeiras estaduais, além do Bandes 40 agências do Banestes estão fechadas. Trinta e três bancos privados aderiram à greve na Grande Vitória: Santander (8), Bradesco (5), Itaú (7), HSBC (3), e Banco Mercantil do Brasil (1).

No interior o total de agências da Caixa fechadas é 28. Do Banestes são 5. Do Banco do Brasil, 24. Entre os bancos privados do interior, nove estão paralisados. Para o coordenador geral do Sindicato dos Bancários/ES, Carlos Pereira de Araújo, o Carlão, a adesão ainda maior dos trabalhadores é reflexo da insatisfação com o cotidiano nas agências. “Os bancários têm que conviver com a constante pressão para atingir metas, o que causa o adoecimento dos funcionários e, também, com muitos outros problemas, como assédio moral e sobrecarga de trabalho”, diz Carlão.

Segundo Carlão, o movimento paredista tem tido apoio da população. “Nossas pautas atendem aos interesses dos clientes, pois nós também estamos reivindicando contratação de funcionários para que seja possível atender com mais agilidade à grande demanda dos clientes, que, por causa do número reduzido de bancários, têm que ficar na fila durante muito tempo esperando por atendimento. Também somos contra as altas taxas de juros cobradas pelos bancos”, afirma o coordenador geral do Sindicato.

Ainda hoje os bancários se unirão aos trabalhadores dos Correios, que também estão em greve, numa manifestação que será realizada a partir das 16h, na Praça Oito, no Centro da de Vitória. “A manifestação está sendo realizada pelos funcionários dos Correios e fomos convidados para participar em virtude do fato de que as condições de trabalho das duas categorias são parecidas, além de ambas defenderem a melhoria no atendimento aos usuários que utilizam seus serviços”, explica Carlão.

A partir da semana que vem haverá plenárias de segunda a quinta, a partir das 17h, no auditório do Sindicato. “É importante que todos os bancários, tanto os que estão nos piquetes quanto os que estão em casa, compareçam às plenárias para avaliação do movimento e, também, para contribuir com as estratégias de mobilização”, diz Carlão.

Veja as fotos do segundo dia de greve

 

Imprima
Imprimir