Debates em GT sobre Caixa Minuto terminam sem apresentação de proposta

Trabalhadores cobram que política da empresa seja revista, com o fim do caixa minuto e com retomada da função de caixa

Os debates sobre o Caixa Minuto no Grupo de Trabalho que analisa o tema terminaram sem que houvesse a apresentação de qualquer proposta. A reunião, ocorrida em Brasília na última segunda-feira (19), não foi conclusiva e culminou em um impasse que precisa ser resolvido com a urgência necessária.

A Caixa se nega a rever uma política que ponha fim ao caixa minuto e restitua a designação à função de caixa. Nas reuniões realizadas até agora o ponto mais enfatizado tem sido o papel diferenciado do caixa na empresa em relação a outros bancos, justamente por tratar de itens como o pagamento do FGTS e o seguro-desemprego, exclusividades da Caixa.

“A Caixa se mostrou intransigente e insistiu em manter o trabalho por demanda, enquanto a solução seria a ampliação da quantidade de caixas nas agências e a contratação de mais trabalhadores”, avalia Lizandre Borges, diretora do Sindibancários/ES.

Cabe ao banco apresentar uma proposta para ser debatida e negociada. Nesta terça-feira (20), na sede da Fenae, a CEE/Caixa vai avaliar a questão, inclusive com a possibilidade de estipular uma agenda de mobilização.

Com informações da Fenae.

Imprima
Imprimir