Caixa: dia de greve não pode ser considerado falta injustificada

Além dos que aderiram espontaneamente à greve, há também os trabalhadores que não conseguiram chegar ao trabalho

A Caixa orientou aos gestores que homologue como falta injustificada o ponto dos bancários e bancárias que aderiram à Greve Geral na última sexta-feira, 28. No entanto, a medida é claramente uma ação antissindical da gestão de Occhi na tentativa de inibir o direito dos trabalhadores e trabalhadoras de se organizarem e participarem de greve.

“Recebemos diversas denúncias de bancários que sofreram assédio por parte de gerentes para não aderirem ao movimento grevista. Isso é assédio moral coletivo e não podemos aceitar essa forma de gestão. O corte de ponto, que agora a Caixa tenta impor, é prática antissindical, uma vez que greve é direito do trabalhador e todas as medidas legais foram cumpridas para garantir esse direito”, enfatiza o diretor do Sindibancários/ES, Vinicius Moreira.

Bancários e bancárias de todo o Brasil participaram da Greve Geral, contra a terceirização e as reformas Trabalhista e da Previdência. Além daqueles que aderiram espontaneamente ao movimento, muitos bancários não conseguiram chegar ao local de trabalho devido à falta de transporte público. Portanto, a homologação do ponto como falta injustificável desrespeita todos os direitos garantidos os trabalhadores.

Diante dessa decisão intransigente da Caixa, o Sindibancários/ES está tomando todas as medidas judiciais cabíveis para evitar o corte de ponto, uma vez que todos os trâmites legais da Lei de Greve foram cumpridos. O movimento grevista também foi considerado legal pelo Ministério Público do Trabalho. 

Contraf cobra negociação com a Caixa

A Contraf e a Comissão Executiva dos Empregados da Caixa enviaram ofício à direção do banco, nessa terça-feira (2), para pedir esclarecimentos sobre os procedimentos relativos às paralisações dos trabalhadores dos dias 15 de março e  28 de abril, realizadas em conjunto com diversas categorias profissionais e que tiveram forte adesão em todo o país.

No ofício, também é solicitado o agendamento imediato  de reunião da mesa de negociação permanente, para buscar respostas e soluções aos debates anteriores (verticalizaçao, RH 184, trabalhados em dia de repouso semanal remunerado, dentre outros).

No dia 27, a Contraf informou a Caixa sobre a Greve Geral do dia 28, quando reafirmou que se tratava de um movimento nacional na defesa dos direitos dos trabalhadores e da Caixa 100% pública.

Com informações da Contraf e Fenae

Imprima
Imprimir