Diretor de cooperativa do Itaú é reintegrado após demissão sem justa causa

O bancário do Itaú Elvio Tavares, diretor da Cooperativa dos Profissionais de Instituições financeiras (Coproinf), foi reintegrado ao trabalho nesta sexta-feira, 23, após ação judicial movida pelo Sindibancários/ES. Ele havia sido demitido em julho deste ano, mesmo com a garantia de estabilidade no emprego.  “O Itaú tem insistido em demissões arbitrárias, que incluem funcionários com […]

O bancário do Itaú Elvio Tavares, diretor da Cooperativa dos Profissionais de Instituições financeiras (Coproinf), foi reintegrado ao trabalho nesta sexta-feira, 23, após ação judicial movida pelo Sindibancários/ES. Ele havia sido demitido em julho deste ano, mesmo com a garantia de estabilidade no emprego.

 “O Itaú tem insistido em demissões arbitrárias, que incluem funcionários com problemas de saúde, dirigentes de cooperativa e até mesmo dirigentes sindicais. É uma política do banco que desrespeita os empregados e descumpre a legislação. A decisão da Justiça do Trabalho vem comprovar isso”, destaca José Carlos Schneider, diretor do Sindicato/ES e empregado do Itaú.

A estabilidade é direito de todos os diretores da cooperativa até um ano após o término do mandato, conforme reafirma decisão do Juiz do Trabalho Adib Pereira Salim, da 13º Vara de Vitória, responsável pelo julgamento do caso. “A dispensa é nula por ofensa ao disposto no artigo da lei 5764, lei das cooperativas, que estende ao diretor de cooperativas as garantias asseguradas aos dirigentes sindicais, em especial a garantia prevista no artigo 543, § 3º, da CLT, que veda a dispensa do empregado, do registro de sua candidatura até um ano após o término do mandato”, diz a decisão. 

Essa é a terceira reintegração de empregados do Itaú feita pelo Sindibancários/ES em 2015. No mês de julho, duas bancárias já haviam sido reintegradas por demissão irregular, uma delas também diretora da cooperativa.

Imprima
Imprimir