Duzentas e sessenta e uma agências fechadas em todo o Estado no primeiro dia de greve

A greve dos bancários, que começou nesta terça-feira, 06, paralisou 261 agências em todo o Espírito Santo, sendo 164 na Grande Vitória e 97 no interior. Também estão fechados os prédios do Bandes, o Centro de Processamento de Dados do Banestes (CPD) e do Banco do Brasil da Pio XII, todos no Centro de Vitória, […]

A greve dos bancários, que começou nesta terça-feira, 06, paralisou 261 agências em todo o Espírito Santo, sendo 164 na Grande Vitória e 97 no interior. Também estão fechados os prédios do Bandes, o Centro de Processamento de Dados do Banestes (CPD) e do Banco do Brasil da Pio XII, todos no Centro de Vitória, além de 10 departamentos da Caixa Econômica.

“Nossa avaliação em relação ao primeiro dia de greve é positiva, pois tivemos grande adesão dos trabalhadores, o que mostra a insatisfação com a proposta apresentada pela Fenaban”, afirma o coordenador do Sindicato dos Bancários/ES, Jessé Alvarenga. Ele destaca que a tendência é o movimento grevista se fortalecer nos próximos dias.

“Amanhã o número de agências fechadas deve aumentar. Devemos intensificar a mobilização. Por isso, convido os trabalhadores e trabalhadoras que ainda não aderiram à greve a paralisar suas atividades. Somente com uma greve forte e unificada vamos alcançar as reivindicações que constam na minuta”, diz Jessé.

Bancos públicos e privados

Ao todo, 219 agências de bancos públicos estão fechadas em todo o Estado, sendo 74 da Caixa, 70 do Banestes, 74 do Banco do Brasil e uma do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) em São Mateus. Entre os bancos privados, são 42 agências fechadas: Santander (8), Itaú (15), HSBC (5), Bradesco (13) e Safra (1).

Principais reivindicações da minuta geral dos bancários:

Reajuste salarial de 16%. (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real)

PLR: 3 salários mais R$7.246,82

Piso: R$3.299,66 (equivalente ao salário mínimo do Dieese em valores de junho último).

Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$788,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).

Melhores condições de trabalho com o fim do assédio moral que adoecem os bancários.

Emprego: fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.

Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários.

Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários.

Igualdade de oportunidades: fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Principais reivindicações da minuta específica do Banestes:

Reposição das perdas inflacionárias desde setembro de 1994 até agosto deste ano.

Piso salarial equivalente ao salário mínimo do Dieese acrescido da gratificação semestral de 25%, totalizando R$ 4.222,02

Constituição de uma comissão paritária para discutir a revisão da Estrutura de Cargos e Salários para corrigir distorções existentes

Manutenção do Sistema Banestes público e estadual

Vale-cultura para todos e benefícios como tíquetes, cesta-alimentação, auxílio-creche/babá e auxílio para filhos com necessidades especiais no valor de R$ 788,00 cada

Eleição direta para representantes dos empregados na Banescaixa

Imprima
Imprimir

Comentários