Em assembleia, bancários capixabas aprovam minuta nacional

Reunidos em assembleia geral na noite desta quinta-feira, 06, no auditório do Sindicato/ES, os bancários e bancárias capixabas aprovaram a minuta de reivindicações para a Campanha Nacional 2015. Na pauta deste ano a categoria cobra reajuste de 16%, piso do Dieese (R$ 3299,66 em junho), PLR de três salários mais parcela fixa de R$ 7.246,82, […]

Reunidos em assembleia geral na noite desta quinta-feira, 06, no auditório do Sindicato/ES, os bancários e bancárias capixabas aprovaram a minuta de reivindicações para a Campanha Nacional 2015. Na pauta deste ano a categoria cobra reajuste de 16%, piso do Dieese (R$ 3299,66 em junho), PLR de três salários mais parcela fixa de R$ 7.246,82, defesa do emprego, combate às metas e ao assédio moral e fim da terceirização.

A aprovação da minuta foi unânime. O coodenador geral do Sindicato/ES, Jessé Alvarenga, destacou que o momento é de mobilização. “Estamos numa conjuntura econômica muito desfavorável para os trabalhadores, e ainda assim os bancos se mantêm como setor de maior rentabilidade na economia. Por isso não podemos nos intimidar. É hora de nos unir e fazer uma campanha forte”, diz Alvarenga.

A assembleia também ratificou a indicação de Jessé como novo representante do Sindicato/ES no Comando Nacional dos Bancários, e do diretor Carlos Pereira de Araújo (Carlão) como seu suplente.

A minuta nacional será entregue à Fenaban no dia 11 de agosto, em São Paulo.

Calendário Estadual

No próximo dia 12 os bancários e bancárias do Banestes se reúnem em assembleia específica para votar a minuta estadual, que será entregue ao banco no dia 14 de agosto, quando acontece o lançamento oficial da Campanha Salarial no Estado.

Veja as principais reivindicações da Campanha Salarial 2015

Remuneração

-Reajuste salarial de 16% (incluindo reposição da inflação mais 5,7% de aumento real)
-PLR: 3 salários mais R$7.246,82 
-Piso do Diesse: R$3.299,66 (junho/2015).
-Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$788,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional).Melhores condições de trabalho com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários.

Emprego

-Fim das demissões, mais contratações, fim da rotatividade e combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PLC 30/15 no Senado Federal, além da ratificação da Convenção 158 da OIT, que coíbe dispensas imotivadas.
-Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários.
-Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós.

Segurança

-Prevenção contra assaltos e sequestros: permanência de dois vigilantes por andar nas agências e pontos de serviços bancários, conforme legislação. Instalação de portas giratórias com detector de metais na entrada das áreas de autoatendimento e biombos nos caixas. Abertura e fechamento remoto das agências, fim da guarda das chaves por funcionários. 

Igualdade de oportunidades

-Fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transsexuais e pessoas com deficiência (PCDs).

Imprima
Imprimir

Comentários