Em reunião, COE questiona Bradesco sobre demissões

Durante reunião, COE apresentou estudo mostrando que número de demissões supera o de contratações. Arrocho, avalia Sindicato, é preparação do banco para regulamentação da terceirização.

A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco se reuniu com representantes da instituição financeira na quarta-feira, 22, em São Paulo. Um dos assuntos abordados pelos dirigentes sindicais foi o alto número de demissões registradas até junho.

O Bradesco, por outro lado, alega que os cortes são de ordem natural, ou seja, por motivo de desempenho, pedidos de demissões e aposentadorias. Contudo, dados mostram que a realidade é diferente da que foi apresentada pelo banco.

“O Bradesco, a despeito de uma crise inexistente para o sistema bancário, enxuga sistematicamente o quadro de funcionários preparando terreno para a incorporação do HSBC e se antecipando à aprovação do projeto de lei da terceirização. As contratações não correspondem ao número de demitidos, como a COE mostrou na reunião”, aponta Fabrício Coelho, diretor do Sindicato.”

Durante a reunião a COE mostrou por meio do cruzamento das informações apuradas por federações e sindicatos referentes às homologações que a realidade não condiz com as informações trazidas pelos representantes do banco. Diante disso, o Bradesco admitiu que não houve contratações no mesmo volume de desligamentos em todo o território nacional e assumiu o compromisso de ter um olhar mais minucioso em todo o país, começando nas regiões onde há maior defasagem de trabalhadores para fazer o devido ajuste. Ainda afirmou que as contratações não ocorreram do mesmo tamanho devido à crise.

Os representantes dos trabalhadores vão fazer os levantamentos devidos para acelerar o processo de preenchimento de vagas nos postos de trabalho.

Mesmo fechando o início do ano com lucro, o banco manteve sua política de cortes. Em apenas um ano, de março de 2015 a março de 2016, foram 3.581 empregos a menos no segundo maior banco privado do país.Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), no primeiro trimestre de 2016, o Bradesco teve lucro líquido ajustado de R$ 4,113 bilhões.

“A mobilização bancária nesta campanha salarial precisa ser grande para combater os avanços dos bancos impulsionados pelo governo ilegítimo de Temer. Temos uma perspectiva de lutas constantes”, avalia Coelho.

Reivindicações específicas

O banco trouxe o retorno das reivindicações específicas dos trabalhadores do Bradesco, sendo que em relação ao fim do assédio moral e das metas abusivas, haverá uma reunião para que haja aprofundamento maior sobre este tema.

Sobre a implantação do Plano de Carreira, Cargos e Salários, o banco manteve a sua posição de empresa com plano de carreira fechado, porém apresentou que há um novo sistema de oportunidades, através do SAP (trilhas). Junto com o grupo de trabalho que será criado para acompanhar o ponto eletrônico, será disponibilizado aos dirigentes sindicais conhecer este sistema.

Na questão sobre a ampliação da rede de atendimento do plano de saúde e odontológico, o banco se comprometeu a reativar as reuniões por federações com o intuito de ampliar a rede de atendimento.

Sobre a garantia dos direitos dos funcionários lesionados, que tenham passado por sequestro, afastados do trabalho, e sobre a construção de programa de retorno ao trabalho, será aprofundado com a retomada do Grupo de Trabalho de Saúde.

Em relação ao parcelamento do desconto do adiantamento do salário de férias, o banco formulará quesito sobre este ponto e apresentará em breve.

Já sobre o programa treinet no horário de trabalho, atendendo reivindicação do movimento, o banco implementou travas para que se consiga fazer o treinamento somente no horário comercial.

No item sobre licença adoção, o Bradesco também se compromete a estudar este tema e também trazer o retorno o mais breve possível.

Na questão do Vale Refeição e Vale Alimentação, os bancários reivindicaram do banco que fosse oferecida uma opção de percentual para fracionar e distribuir os valores dos vales refeição e alimentação, considerando aquilo que lhe seja mais favorável. O banco se compromete a estudar este tópico e dar um retorno.

Em relação à taxa de crédito pleiteada, o banco solicitou um período para analisar esta reivindicação com o objetivo de verificar se terá condições de atender.

 

Imprima
Imprimir