Em plenária, securitários e bancários formam comissão para elaborar ações de mobilização contra abertura de capital da Banseg

Funcionários e funcionárias da subsidiária Banestes Seguros S.A (Banseg) participaram de uma plenária realizada nesta quinta-feira, 19, pelo Sindicato dos Bancários/ES, no auditório da entidade. A atividade, que teve como objetivo discutir ações em defesa da Banseg como patrimônio público, contou não somente com a presença de representantes do Sindibancários, mas também do presidente do […]

Funcionários e funcionárias da subsidiária Banestes Seguros S.A (Banseg) participaram de uma plenária realizada nesta quinta-feira, 19, pelo Sindicato dos Bancários/ES, no auditório da entidade. A atividade, que teve como objetivo discutir ações em defesa da Banseg como patrimônio público, contou não somente com a presença de representantes do Sindibancários, mas também do presidente do Sindicato dos Securitários; Wagner Max Novelli, e do secretário geral, Goiany Gomes Ribeiro.

A realização da plenária se deu em virtude de um anúncio feito pelo banco sobre a possibilidade de abertura de capital da Banseg. Durante a plenária foi criada uma comissão formada por funcionários e representantes dos sindicatos dos securitários e bancários. A comissão tem como um de seus objetivos traçar estratégias de mobilização. Fazem parte dela Wagner Max Novelli, Goiany Gomes Ribeiro, os diretores do Sindibancários Jessé Alvarenga e Jonas Freire, o coordenador geral do Sindibancários, Carlos Pereira de Araújo (Carlão); os funcionários da Banseg Flávio Wagner Gaudio de Souza e Guilherme Lima Lopes, além do corretor Maury Félix Guimarães Filho.

Segundo Carlão, por meio da abertura de capital pode haver venda total ou parcial das ações da Banseg. “Somos contra isso. Caso essa venda aconteça haverá enfraquecimento de todo o sistema financeiro Banestes. Defendemos a não abertura de capital e a manutenção do Banestes 100% público. O governador assumiu publicamente durante a campanha eleitoral o compromisso de não privatizar o banco e nós vamos cobrar isso”, afirma Carlão.

O presidente do Sindicato dos Securitários ratificou o posicionamento do Sindibancários. “Temos a mesma posição do Sindicato dos Bancários. O Banestes é um patrimônio do Estado e deve continuar assim. Temos que nos unir para traçar caminhos que impeçam a abertura de capital. Se privatizarem a seguradora mais pra frente podem fazer o mesmo com o banco”, diz Wagner. Para o auditor do Banestes, Júlio César Gomes, a possibilidade de abertura de capital trata-se de uma estratégia nova de privatização do banco estadual. “Primeiro vende-se a Banestes Seguros. Depois, outra subsidiária, até quebrar o Banestes de vez. É uma estratégia nova de vender o sistema, já que as anteriores falharam”, defende Júlio.

As mobilizações já começaram

Diante do anúncio do banco sobre a possibilidade de abertura de capital da Banseg o Sindicato enviou um ofício ao governador Paulo Hartung, solicitando uma audiência para tratar a questão. Os 30 deputados estaduais também receberam ofício com pedido de audiência. Até o momento, apenas os deputados Gilsinho Lopes (PR), Marcos Mansur (PSDB), Sandro Locutor (PPS) e Freitas (PSB) confirmaram o encontro.

Imprima
Imprimir