Em rodada de negociação, Banco Mercantil do Brasil se nega a pagar PLR

Funcionários e funcionárias do Banco Mercantil do Brasil, entre eles, a diretora do Sindicato do Bancários/ES, Andréa Queiroz Bicalho, participaram da segunda rodada de negociação com representantes da instituição financeira, no mês de novembro, em Belo Horizonte. Na ocasião, os trabalhadores e trabalhadoras cobraram mais transparência quanto aos critérios de pagamento da Participação dos Lucros […]

Funcionários e funcionárias do Banco Mercantil do Brasil, entre eles, a diretora do Sindicato do Bancários/ES, Andréa Queiroz Bicalho, participaram da segunda rodada de negociação com representantes da instituição financeira, no mês de novembro, em Belo Horizonte. Na ocasião, os trabalhadores e trabalhadoras cobraram mais transparência quanto aos critérios de pagamento da Participação dos Lucros e Resultados (PLR), reivindicação que havia sido encaminhada pelas entidades sindicais após o fechamento da Campanha Nacional dos Bancários 2014.

Contudo, o Banco Mercantil do Brasil, durante a reunião, se negou a conceder qualquer pagamento a título de participação nos resultados, como abono, prêmio ou bônus. O banco alega que não tem condições financeiras para isso, mesmo diante do fato dos funcionários e funcionárias se mostrarem abertos a construir uma proposta que dialogue com as condições específicas da instituição financeira, assim como foi feito no HSBC, que também não apresentou lucro no primeiro semestre de 2014 mas vai pagar R$ 3 mil a todos empregados e empregadas.

Segundo Andrea, não foram todas as agências do Banco Mercantil do Brasil que não deram lucro. “Nas agências que deram lucro os gerentes receberam uma variável e os demais funcionários e funcionárias nãoreceberam nada. Em Linhares, por exemplo, os bancários e bancárias bateram as metas. Levando em consideração que a PLR também é baseada nos resultados , eles têm direito a receber. É isso que o Sindicato dos Bancários defende”, afirma Andréa.

 

Imprima
Imprimir