Entidades vão propor medidas emergenciais para a Cassi

As entidades representativas dos funcionários do Banco do Brasil, ativos e aposentados, vão apresentar à direção do banco propostas emergenciais para equilibrar as contas da Cassi, o plano de saúde dos empregados. A próxima reunião de negociação acontece nesta quinta-feira, dia 27 de agosto. No encontro de sexta-feira, 21, as entidades apresentaram a preocupação com […]

As entidades representativas dos funcionários do Banco do Brasil, ativos e aposentados, vão apresentar à direção do banco propostas emergenciais para equilibrar as contas da Cassi, o plano de saúde dos empregados. A próxima reunião de negociação acontece nesta quinta-feira, dia 27 de agosto.

No encontro de sexta-feira, 21, as entidades apresentaram a preocupação com a situação das reservas técnicas da Caixa de Assistência, que fechou o ano de 2014 com um déficit consolidado de R$ 108 milhões. Como não há um consenso para as mudanças estatutárias em debate, foi colocada a necessidade de medidas emergenciais, sem que haja perda de nenhum benefício e nem afete a assistência médica dos associados, até que se tenha uma proposta de sustentabilidade melhor construída e debatida. Ou seja, paralelamente, as entidades e o banco continuam negociando.

Um dos entraves no debate sobre a Cassi é a proposta do banco de repassar aos funcionários o compromisso com as contribuições do chamado pós-laboral, ou seja, quem se aposenta. Em síntese, o BB repassaria para a Cassi os R$ 5,830 bilhões que estão provisionados no balanço como compromisso com o pós-laboral para que a própria Caixa de Assistência assuma a obrigação da contribuição dos associados que se aposentam. Com isso, o BB deixaria de ser obrigado a fazer as provisões previstas pela Comissão de Valores Mobiliários.

Para viabilizar essa proposta, o BB apontou a criação de um fundo de custeio do pós-laboral acrescendo 0,99% à sua contribuição mensal para os ativos. A finalidade dessa contribuição é manter a reserva para arcar com as contribuições dos aposentados atuais e futuros.

 

Imprima
Imprimir

Comentários