Espírito Santo tem 251 agências bancárias fechadas no quinto dia de greve

Nesta segunda-feira, 06, no quinto dia de greve nacional dos bancários, 251 agências foram paralisadas no Espírito Santo. Desde o último dia 30, bancários e bancárias cruzaram os braços por melhores condições de trabalho, salário digno e atendimento de qualidade aos clientes. São 101 agências fechadas no interior e 150 na Grande Vitória. A adesão […]

Nesta segunda-feira, 06, no quinto dia de greve nacional dos bancários, 251 agências foram paralisadas no Espírito Santo. Desde o último dia 30, bancários e bancárias cruzaram os braços por melhores condições de trabalho, salário digno e atendimento de qualidade aos clientes. São 101 agências fechadas no interior e 150 na Grande Vitória.

A adesão dos bancários à greve é crescente. São 66 unidades bancárias a mais que no

primeiro dia de paralisação. Na Grande Vitória, são 37 agências da Caixa, 45 do Banestes, 34 do Banco do Brasil, 11 do Santander, 09 do Bradesco, 09 do Itaú, 03 do HSBC, uma da Safra e uma do Banco Mercantil do Brasil.

No interior do Estado, foram fechadas mais quatro agências neste quinto dia de greve. Ao todo já são 101 agências paralisadas no Norte e Sul do Estado. São 42 unidades bancárias fechadas da Caixa, 16 do Banestes, 36 do Banco do Brasil, duas do Itaú, duas do Banco do Nordeste, uma do Santander, Bradesco e HSBC.

Permanecem também fechados quatro departamentos gerenciais da Caixa, o Banco do Brasil da Pio XII, o Bandes e o Centro de Processamento de Dados (CPD) do Banestes.

Assembleia geral

Nesta segunda-feira, 06, será realizada uma Assembleia Geral às 18h30, no Centro Sindical dos Bancários. Na ocasião será submetida à categoria a nova proposta da Fenaban, apresentada na última sexta-feira, 03. A assembleia será no Centro Sindical dos Bancários, que fica na rua Ithobal Rodrigues, 125, no Forte São João, em Vitória.

Os banqueiros aumentaram a proposta de índice de reajuste de 7,35% para 8,5%, o que representa um aumento real de 2,02%. Esse índice é para o salário e as demais verbas salariais. A proposta da Fenaban para os pisos é de um reajuste de 9% (2,49% acima da inflação). Para o vale-refeição, 12,2%.

Também na sexta-feira foram realizadas as rodadas de negociação específicas da Caixa e do Banco do Brasil, que também serão deliberadas na assembleia.

Veja as demais propostas apresentadas pela Fenaban:

Combate às metas abusivas

Os bancos incluirão na Convenção Coletiva o compromisso de que “o monitoramento de resultados ocorra com equilíbrio, respeito e de forma positiva para prevenir conflitos nas relações de trabalho”. Além disso, a cobrança de metas passará a ser proibida não somente por SMS, mas também por qualquer outro tipo de aparelho ou plataforma digital.

Dias parados

A Fenaban propõe a compensação dos dias parados durante a greve, na forma de uma hora por dia no período de 15 de outubro a 31 de outubro, para quem trabalha seis horas, e uma hora por dia no período entre 15 de outubro e 7 de novembro, para quem trabalha oito horas.

Outros avanços nas negociações com a Fenaban

A proposta inclui, ainda, os avanços apresentados pelos bancos ao longo das negociações sobre saúde e condições de trabalho, tais como:

Certificação CPA 10 e CPA 20– Quando exigido pelos bancos, os trabalhadores terão reembolso do custo da prova em caso de aprovação.

Adiantamento de 13º salário para os afastados- Quando o bancário estiver recebendo complementação salarial, terá também direito ao adiantamento do 13º salário, a exemplo dos demais empregados.

Reabilitação profissional– Cada banco fará a discussão sobre o programa de retorno ao trabalho com o movimento sindical.

Gestantes– As bancárias demitidas que comprovarem estar grávidas no período do aviso prévio serão readmitidas automaticamente.

Casais homoafetivos– Os bancos irão divulgar a cláusula de extensão dos direitos aos casais homoafetivos, informando que a opção deve ser feita diretamente com a área de RH de cada banco, e não mais com o gestor imediato, para evitar constrangimentos e discriminações.

Novas tecnologias– Realização de seminários periódicos para discutir sobre tendências de novas tecnologias.

Campanha sobre assédio sexual- Os bancos assumiram o compromisso de realizar uma campanha junto com os bancários para combater o assédio sexual no trabalho.

Conquista no HSBC

O HSBC apresentou a proposta de pagamento de R$ 3 mil, sob forma de participação nos resultados (PR), através de uma antecipação de R$ 2 mil em outubro e R$ 1 mil em fevereiro de 2015. A proposta é resultado da pressão da greve e das negociações com o banco inglês, uma vez que a instituição teve prejuízo no balanço do primeiro semestre. Conforme o modelo de distribuição de lucros, o pagamento aos trabalhadores ficaria prejudicado.

Imprima
Imprimir