Fenaban apresenta 6,1% de reajuste e Comando Nacional rejeita proposta

Apenas 6,1%. Esse foi o índice de reajuste salarial proposto pela Fenaban na quarta rodada de negociação com o Comando Nacional dos Bancários, que terminou nesta quinta-feira, 05, em São Paulo. A proposta, referente à projeção da inflação do período – conforme cálculos do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor)—, foi imediatamente rejeitada pelos […]

Apenas 6,1%. Esse foi o índice de reajuste salarial proposto pela Fenaban na quarta rodada de negociação com o Comando Nacional dos Bancários, que terminou nesta quinta-feira, 05, em São Paulo. A proposta, referente à projeção da inflação do período – conforme cálculos do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor)—, foi imediatamente rejeitada pelos trabalhadores. O Comando Nacional se reúne ainda hoje para discutir um calendário de lutas e a estratégia a ser adotada pela categoria diante do resultado das negociações. 

 

Os banqueiros também não apresentaram respostas às demais reivindicações da categoria nos eixos de saúde e condições de trabalho, emprego, segurança, fim dos correspondentes bancários e fim da terceirização. Sobre a PLR, eles propuseram apenas a manutenção do modelo atual de pagamento, refletido o reajuste de 6,1%. 

 

“Os banqueiros continuam indiferentes à pauta da categoria. A proposta apresentada, depois de quatro rodadas intensas de debates, é uma afronta aos trabalhadores bancários. Nós temos que intensificar a mobilização para construir a nossa greve geral e garantir avanços em relação às cláusulas econômicas e às cláusulas sociais”, afirma Carlos Pereira de Araújo (Carlão), coordenador geral do Sindicato dos Bancários/ES, que integra o Comando Nacional de negociação. 

Imprima
Imprimir