Fenaban apresenta 7,5% e Comando rejeita proposta

Em reunião de negociação realizada nesta terça-feira, 20, em São Paulo, os bancos elevaram de 5,5% para 7,5% a proposta de reajuste para salário e demais verbas dos bancários, sem o pagamento de abono. O Comando Nacional rejeitou a proposta e orientou o fortalecimento da greve. Após a rejeição, a Fenaban convocou nova reunião para […]

Em reunião de negociação realizada nesta terça-feira, 20, em São Paulo, os bancos elevaram de 5,5% para 7,5% a proposta de reajuste para salário e demais verbas dos bancários, sem o pagamento de abono. O Comando Nacional rejeitou a proposta e orientou o fortalecimento da greve. Após a rejeição, a Fenaban convocou nova reunião para amanhã, 21, às 11 horas. 

“O índice apresentado pela Fenaban nem sequer repõe a inflação do período, de 9,8%, e também não reflete a lucratividade dos bancos, que já chega a R$ 36 bilhões em 2015. As cláusulas de saúde e condições de trabalho, como contratação de mais bancários, fim das demissões e das metas também não foram contempladas. Queremos uma proposta que demonstre respeito pela categoria”, diz Jessé Alvarenga, coordenador geral do Sindibancários/ES, que representa os bancários capixabas e a Intersindical no Comando Nacional.

A orientação do Sindicato é a ampliação do movimento de greve. “Temos que manter e ampliar nossa paralisação para arrancar uma proposta digna. A greve continua por tempo indeterminado”, salienta Jessé. 

As negociações foram retomadas depois de 15 dias de paralisação, que já fecha 337 agências no Espírito Santo e 12.496 em todo o país.

Imprima
Imprimir