Fenaban continua intransigente e não garante cláusulas de emprego

Bancos não deram resposta sobre as reivindicações da categoria de defesa do emprego e pelo fim das terceirizações

Terminou no final da tarde desta quarta-feira, 25, a quarta rodada de negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).  Mais uma vez, os bancos adotaram uma postura intransigente e não responderam às reivindicações da categoria em defesa do emprego e da manutenção do padrão de contratação.

A ratificação da Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que coíbe dispensas imotivadas, foi mais uma vez negada pelos bancos. Já sobre as reivindicações pelo fim das terceirizações, por contratação de mais bancários nos padrões atuais e a não admissão de empregados nos modelos previstos na reforma trabalhista, a Fenaban não deu garantia nenhuma de que irá atender e ficou de analisar as cláusulas propostas.

“Essa é mais uma rodada que termina sem avanço e que a Fenaban mantém uma postura de desrespeito em relação a uma pauta central para a categoria. Precisamos ampliar nossa mobilização e, diante do resultado dessa rodada, possivelmente teremos que construir uma greve forte para garantir nosso emprego e que somente bancário seja contratado para trabalhar em banco”, enfatiza o diretor do Sindibancários/ES, Carlos Pereira de Araújo (Carlão) que representa os bancários capixabas e a Intersindical nas negociações.

O Comando Nacional continua reunido e em breve mais informações serão divulgadas.

Imprima
Imprimir