Banestianos devem cumprir jornada de seis horas

Qualquer tentativa de forçar outra jornada senão essa, caracteriza-se como descumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho e da Legislação Trabalhista

Conquista histórica dos bancários, a jornada de seis horas precisa ser cumprida pela categoria e respeitada pelo banco, ainda assim o Banestes tem exigido que empregados façam uma hora de almoço mesmo sem demanda para o cumprimento de hora extra. A situação irregular foi diagnosticada pelo Sindibancários/ES em agências de todo o Estado.

De acordo com denúncias, os bancários são orientados a cumprirem uma hora de almoço. No entanto, ao final do expediente o empregado não faz hora extra, necessária para justificar o intervalo de uma hora de almoço. Ao burlar o ponto dessa forma, o bancário acaba por ficar uma hora a mais na agência e sem receber a remuneração devida.

Esse desrespeito à jornada de trabalho dos bancários é reflexo da escassez de empregados no banco. Apesar da extensa lista de candidatos aprovados no último concurso, o Banestes vem realizando contratações insuficientes para suprir a demanda do banco.

“Orientamos aos bancários e bancárias a não se submeterem a essas condições. Somente quem for fazer, de fato, hora extra, que
deve ser de no máximo de até duas horas, deve cumprir o intervalo de uma hora de almoço. Caso contrário, se a jornada de seis horas for cumprida, o intervalo é de apenas 15 minutos. Qualquer tentativa de forçar outra jornada senão essa, caracteriza-se como descumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho e da Legislação Trabalhista”, orienta o coordenador geral do  Sindibancários/ES, Jonas Freire.

Imprima
Imprimir