Funcionários do Mercantil do Brasil se reúnem para formular estratégias de luta

Representantes da Comissão de Organização dos Funcionários do Banco Mercantil do Brasil participaram de um encontro nacional nos dias 19 e 20 de agosto, na sede da Contraf, em São Paulo. O objetivo do encontro foi discutir as pautas específicas dos funcionários, elaborar um calendário de lutas e traçar estratégias de atuação para as próximas […]

Representantes da Comissão de Organização dos Funcionários do Banco Mercantil do Brasil participaram de um encontro nacional nos dias 19 e 20 de agosto, na sede da Contraf, em São Paulo. O objetivo do encontro foi discutir as pautas específicas dos funcionários, elaborar um calendário de lutas e traçar estratégias de atuação para as próximas negociações com o banco. A diretora da Fetraf RJ/ES e funcionária do Banco Mercantil do Brasil, Andrea Queiroz Bicalho, representou os trabalhadores e trabalhadoras do Espírito Santo na atividade.

No encontro foram analisados os dados do último balanço do banco. No primeiro semestre de 2015, o lucro líquido foi de R$ 48,5 milhões, o que representa uma melhora significativa em relação ao mesmo período do ano passado, com prejuízo líquido de R$ 76,1 milhões. Com esse resultado, a rentabilidade ficou em 14,17%, de acordo com análise do balanço, apresentada pelo Dieese.

Segundo Andrea, o encontro foi um dos melhores do quais já participou. “Com certeza é um dos mais bem avalizados, pois contamos com grande participação de dirigentes sindicais de diversas partes do país”, avalia a diretora da Fetraf. Contudo, não houve participação de nenhum representante da Contraf.

“Diante dessa ausência, foi deliberado que contactaremos a Contraf e exigiremos a representação dela na próxima reunião da Comissão de Organização dos Funcionários, que será em março de 2016. Cobraremos também mais empenho da Confederação no acompanhamento das demandas dos trabalhadores do Banco Mercantil do Brasil e a criação de um canal de comunicação conosco por meio de um informativo”, destaca Andrea.

PLR sem Metas

Os funcionários cobram do banco melhorias no sistema de distribuição de valores referentes ao Programa Próprio de Participação nos Lucros e Resultados. Os dirigentes sindicais decidiram enviar um oficio exigindo o pagamento integral do adiantamento da primeira parcela da PLR, independentemente do cumprimento da meta de despesas operacionais.

Cava

A Comissão de Organização dos Funcionários do Banco Mercantil do Brasil também vai levar para a mesa de negociação com o banco os problemas enfrentados na CAVA (Caixa de Assistência Osvaldo Araújo). Os funcionários estão apreensivos porque o banco tem acenado com o fim do seguro. A decisão do encontro é acionar os setores jurídicos dos sindicatos e da Contraf-CUT para uma ação coletiva, visando resguardar os direitos dos funcionários do Mercantil e associados da caixa de assistência.

Segurança Bancária

Ficou decidido que a Comissão de Organização dos Funcionários do Banco Mercantil do Brasil irá entrar com ações junto aos Ministérios Públicos Estaduais do Trabalho, denunciando a falta de segurança nos abastecimentos frontais de numerário nos terminais de autoatendimento do banco. As demandas serão baseadas na ação proposta pelo Sindicato dos Bancários do Espírito Santo, que proibiu os equipamentos naquele Estado.

Todas as discussões e deliberações do encontro nacional serão publicadas no jornal da COE-Mercantil do Brasil, que será disponibilizado, posteriormente, aos sindicatos, para impressão e distribuição aos funcionários.

 

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir