Golpe contra o povo: Câmara aprova PEC 241

A proposta congela o investimento em serviços básicos, como saúde e educação, por 20 anos, colocando em risco a sobrevivência de milhares de trabalhadores brasileiros

Na noite dessa segunda-feira, 10, os brasileiros sofreram um duro golpe. Por 366 votos a favor e 111 contra, a PEC 241 foi aprovada pela Câmara dos Deputados. A proposta congela por 20 anos o investimento em gastos públicos e condena à morte as políticas públicas de saúde, educação, assistência social, entre outras vitais para a população. Dos oito deputados capixabas federais, seis votaram a favor da PEC e contra o povo que os elegeram.

A PEC ainda passará por uma segunda votação na Câmara e depois segue para o Senado. Os  parlamentares capixabas que aprovaram a proposta foram: Carlos Manato (Solidariedade); Dr. Jorge Silva (PHS); Evair de Melo (PV); Lelo Coimbra (PMDB); Marcus Vicente (PP); Paulo Foletto (PSB). Os deputados Helder Salomão (PT) e Givaldo Vieira (PT) votaram contra a proposta. Já os deputados Sérgio Vidigal e Max Filho estão licenciados para a disputa eleitoral municipal.

A aprovação da proposta é fruto das relações escusas do governo golpista de Temer e a maioria da bancada parlamentar federal. Apoiado ainda pela grande mídia, Temer coloca em prática o projeto neoliberal da elite brasileira, que consiste na retirada de direitos dos trabalhadores, privatização das empresas públicas e aumento da destinação de recursos públicos para pagamento da dívida pública.

PEC da desigualdade

Caso seja sancionada, a PEC 241 representa a devastação das políticas públicas no Brasil, com graves consequências para os trabalhadores, que são os que mais dependem dos serviços públicos. A medida impõe severos retrocessos à sociedade brasileira e pode acarretar o empobrecimento da população, como destaca a chefe do Departamento de Serviço Social da Ufes e vice-presidente da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social, Maria Helena Elpídio.

“A PEC 241 representa o desmonte que já vem acontecendo no âmbito do serviço público, por meio de uma estratégia de desqualificação desses serviços, justamente para dar fim a eles. O que está em jogo é a permanência de todas as garantias conquistadas pelos trabalhadores, como direito à saúde, educação, assistência social. Temos que pensar em uma geração inteira que ficará sem acesso a esses serviços básicos. Essa PEC é devastadora, podemos enfrentar o empobrecimento em larga escala da população. Diante desse cenário, é urgente a necessidade de mobilização dos trabalhadores de todas as categorias, precisamos ocupar as ruas, já”, enfatiza Maria Helena.

O ataque do golpista Temer e de seus aliados aos direitos da população não se limita à PEC 241.  A reforma Trabalhista, da Previdência e a aprovação do PLC 30, que libera a terceirização irrestrita, já estão engatilhados, prontos para serem aprovados e disparados contra os brasileiros. Esse cenário de retrocesso impõe aos trabalhadores e trabalhadoras a urgente mobilização, como enfatiza o coordenador geral do Sindibancários/ES, Jonas Freire.

“Enfrentamos um momento de constantes ataques aos trabalhadores. Querem colocar, a todo custo, a conta da crise nas nossas costas. Não podemos aceitar essas medidas e a hora é de mobilização, de ocuparmos as ruas e dizer não ao projeto desse governo golpista. Além disso, precisamos lutar pela auditoria da dívida pública, que representa o maior esquema de corrupção legalizada desse país”, destaca.

Temer e seus aliados defendem que a PEC 241 representa a saída da crise do país, uma vez que os gastos com as políticas públicas estão elevados e fora do controle. No entanto, por trás dessa grande mentira está uma estratégia do governo para garantir o pagamento dos juros aos especuladores, ou seja, os agiotas que enriquecem com dinheiro público.

gastos-do-governo-pec-241

Clique aqui e entenda as graves consequências da PEC 241

Veja os deputados que votaram a favor da PEC e contra o povo

Envie e-mail para os deputados capixabas federais que aprovaram a PEC 241 e exija que votem não à PEC 241 na próxima votação:

  • Carlos Manato –  dep.carlosmanato@camara.leg.br
  • Dr. Jorge Silva –  dep.dr.jorgesilva@camara.leg.br
  • Evair de Melo – dep.evairvieirademelo@camara.leg.br
  • Lelo Coimbra – dep.lelocoimbra@camara.leg.br
  • Marcus Vicente – dep.marcusvicente@camara.leg.br
  • Paulo Foletto – dep.paulofoletto@camara.leg.br
  • Helder Salomão- dep.heldersalomao@camara.leg.br
  • Givaldo Vieira – dep.givaldovieira@camara.leg.br
Imprima
Imprimir