Governo ataca empregados e quer enfraquecer a Caixa

O presidente da instituição, Gilberto Occhi, anunciou que até 120 unidades poderão ser fechadas, fundidas ou reduzidas. O plano Saúde Caixa também está na mira do Governo Temer

SC 0637 1113

Campanha em defesa da Caixa (Foto: Sérgio Cardoso)

Em uma tentativa clara de enfraquecer a Caixa, o maior banco público do Brasil, o presidente da instituição, Gilberto Occhi, anunciou que até 120 unidades poderão ser fechadas, fundidas ou reduzidas. O plano Saúde Caixa também está na mira do governo de Michel Temer (PMDB), com mudanças já sendo negociadas entre o governo e a direção da Caixa.

“O fechamento de agências está ocorrendo porque há uma grande escassez de empregados. Não há número suficiente de bancários para suprir a rede de agências e, ao invés de contratar os concursados, a gestão de Occhi coloca em prática o plano de desmonte da Caixa, com reestruturação, demissão e fechamento de unidades. Está mais do que evidente que essas medidas fazem parte de um projeto maior de entrega das empresas públicas ao setor privado. O fechamento de agências dos Correios é um exemplo desse ataque ao patrimônio dos brasileiros”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Lizandre Borges.

As notícias do fechamento de agências e de mudanças no Saúde Caixa vieram ao mesmo tempo em que o banco divulgou um lucro líquido bem abaixo do projetado no ano passado. A Caixa teve lucro líquido de R$ 4,1 bilhões em 2016, quando a projeção era de R$ 6,7 bilhões no final do terceiro trimestre. Em oposição ao lucro líquido abaixo do esperado, a Caixa teve um excelente resultado operacional, que cresceu 271,7% em relação a 2015. Para os representantes dos empregados do banco, o lucro líquido divulgado pela Caixa precisa ser investigado, pois os dados podem ter sido maquiados para justificar necessidade de ajustes no plano de saúde e fechamento de unidades.

Desde o ano passado o banco vem adotando a política de desempregar. A Caixa finalizou 2016 com fechamento de 2.480 postos de trabalho. Entretanto, o número de clientes aumentou em 4,1 milhões (+5%), totalizando 87,1 milhões em 2016. Foram fechadas oito agências no período.

Saúde Caixa

As mudanças no Saúde Caixa, se consolidadas pelo Governo Temer, vão impactar cerca de 250 mil pessoas, entre empregados, dependentes e aposentados. Em janeiro, a Caixa já tinha reajustado o valor das mensalidades pagas pelos empregados de 2% para 3,46% do salário e o percentual de coparticipação de 20 para 30%, além do limite de coparticipação anual subir de R$ 2,4 mil para R$ 4,2 mil.

As medidas foram suspensas por liminar da Justiça do Trabalho de Brasília, após ação da Contraf e sindicatos. As entidades alegaram que as mudanças nas condições do plano ferem os direitos adquiridos.

Imprima
Imprimir