Greve começa forte no Espírito Santo e paralisa 185 agências

O primeiro dia de greve dos bancários teve 185 agências paralisadas no Espírito Santo, entre bancos públicos e privados. Também foram fechados os prédios do Centro de Processamento de Dados (CPD) do Banestes, Banco do Brasil da Pio XII e Bandes; e 4 departamentos da Caixa. O movimento paredista teve início na manhã desta terça-feira, […]

O primeiro dia de greve dos bancários teve 185 agências paralisadas no Espírito Santo, entre bancos públicos e privados. Também foram fechados os prédios do Centro de Processamento de Dados (CPD) do Banestes, Banco do Brasil da Pio XII e Bandes; e 4 departamentos da Caixa. O movimento paredista teve início na manhã desta terça-feira, 30, em todo o país, e segue por tempo indeterminado.

Região Metropolitana de Vitória

Na Grande Vitória, 100% das agências da Caixa aderiram à greve, com 37 unidades fechadas. No Banestes, 41 agências foram paralisadas, um percentual de 73,21% das unidades da região. Já no Banco do Brasil, a adesão foi de 32 agências, o que representa um percentual de 80% do total.

Entre os bancos privados da região metropolitana, foram fechados 7 unidades do Santander, 6 do Bradesco, 7 do Itaú, 2 do HSBC e 1 do Mercantil do Brasil.

Interior

Nas cidades do interior do Espírito Santo, foram fechadas 32 agências da Caixa, 15 do BB, 4 do Banestes e uma do Banco do Nordeste.

Para Carlos Pereira de Araújo (Carlão), coordenador geral do Sindicato dos Bancários/ES, a avaliação do primeiro dia de paralisação é positiva. “O número de agências paradas demonstra o grau de indignação da categoria, com grande adesão dos bancários e bancárias. O nosso desafio é ampliar esse quadro. Hoje contamos também com a compreensão e solidariedade dos clientes, que reconheceram a importância da pauta da categoria em busca de melhores condições de trabalho e de atendimento à população”, diz Carlão, que representa o Espírito Santo e a Intersindical no Comando Nacional dos Bancários/ES.

Imprima
Imprimir