Greve de fome contra a reforma da Previdência chega a seu sétimo dia

A greve de fome foi iniciada por integrantes do MPA (Movimento dos Pequenos Agricultores) e vem ganhando apoio de outros movimentos

Desde a última terça-feira, dia 5, representantes do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) estão em greve de fome em protesto contra a reforma da Previdência, que deve ser votada ainda neste mês.

O movimento chegou a seu sétimo dia com apoio de manifestantes de outros movimentos. Hoje, mais três pessoas aderiram à greve de fome, que reúne militantes ligados ao Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento das Mulheres Camponesas (MMC), Movimentos dos Trabalhadores e Trabalhadores por Direitos (MTD), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Levante da Juventude.

“As reformas bancadas pelo governo Temer e pela maioria dos deputados e senadores, que atendem aos interesses dos grandes empresários e banqueiros, aprofundam o caos social com desemprego em massa e com a precarização das condições de trabalho, conforme as mudanças estabelecidas pela reforma trabalhista, já aprovada. Não bastasse isso, a reforma da Previdência impede que os trabalhadores brasileiros tenham acesso a uma aposentadoria digna. Apropria-se do fundo público, que é a Previdência, para pagar juros e amortização da dívida pública às custas do sangue e do suor do povo brasileiro. A greve de fome realizada pelos trabalhadores expressa o grau de indignação de toda a classe. É preciso que nós, trabalhadores, através de nossas organizações sindicais e populares, construamos uma greve geral que tenha eco em todo o território nacional para conseguir barrar essa reforma”, afirma o diretor do Sindibancários/ES Carlos Araújo.

De acordo com os manifestantes do movimento, a greve de fome significa que alguns passarão fome por alguns dias para evitar que muitos passem fome a vida inteira. As lideranças afirmam que o protesto só terá fim quando a reforma for retirada de pauta na Câmara dos Deputados.

Imprima
Imprimir