Greve dos bancários avança e paralisa mais de 240 agências no Estado

No sexto dia de greve dos bancários, chega a 242 o número de agências fechadas no Espírito Santo, sendo 150 da Grande Vitória e 92 no interior. Três prédios administrativos também estão aderiram à paralisação, o Pio XII, do Banco do Brasil, o Bandes e o Centro de Processamento de Dados do Banestes.  Na região […]

No sexto dia de greve dos bancários, chega a 242 o número de agências fechadas no Espírito Santo, sendo 150 da Grande Vitória e 92 no interior. Três prédios administrativos também estão aderiram à paralisação, o Pio XII, do Banco do Brasil, o Bandes e o Centro de Processamento de Dados do Banestes.

 Na região metropolitana de Vitória o número de agências paradas da Caixa se manteve em 34, o que representa 97,14% das unidades da região. Também permanecem fechados 7, dos 11 departamentos do banco. Já no interior o número subiu de 29 para 30 agências paradas.

No Banestes a adesão aumentou de 53 para 54 unidades – 46 na Grande Vitória e 8 no interior –, em comparação à última segunda-feira. Já no Banco do Brasil, neste mesmo período, o número de agências paradas passou de 69 para 73, das quais 37 estão localizadas no interior e 36 na região metropolitana de Vitória.

Ainda em relação aos bancos públicos, também entraram em greve os bancários das agências do Banco do Nordeste de Colatina, Linhares, São Mateus e Nova Venécia.

Bancos privados

Nos bancos privados o número de agências paradas passou de 39 para 47, um aumento de aproximadamente 20%, se comparado ao dia de ontem. Desse total, 11 agências são do Santander, 13 do Bradesco, 15 do Itaú, 6 do HSBC, uma do Safra e uma do Mercantil do Brasil.

Nacionalmente, são mais de 9.015 agências e centros administrativos parados, entre bancos públicos e privados.

Sem perspectiva de negociação, comando se reúne para avaliar a greve

Os banqueiros ainda não se manifestaram em relação à greve da categoria, portanto, não há perspectiva de nova negociação. Diante do silêncio da Fenaban, o Comando Nacional dos Bancários se reúne nesta quinta-feira, 26, às 14 horas, em São Paulo, para fazer uma avaliação da primeira semana da greve.

 “Os bancos ainda não deram respostas à mobilização da categoria, portanto, a orientação é de manter e ampliar a greve. O Comando irá avaliar o movimento nacional e tentar traçar um calendário unificado de lutas, para pressionar avanços nas negociações, tanto nas cláusulas econômicas como nas sociais”, afirma Carlos Pereira de Araújo (Carlão), diretor do Sindicato dos Bancários/ES que representa o Espírito Santo no Comando Nacional.

 

Atualizado em 25/09

Imprima
Imprimir