Greve dos bancários completa 10 dias e 322 agências estão fechadas

Nesta quinta-feira, 15, a greve dos bancários completa 10 dias. Já são 322 agências fechadas, 181 na Grande Vitória e 141 no interior. Dessas agências, 265 são de banco público: 79 da Caixa, 91 do Banestes, 94 do Banco do Brasil e uma do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), em São Mateus. Os privados […]

Nesta quinta-feira, 15, a greve dos bancários completa 10 dias. Já são 322 agências fechadas, 181 na Grande Vitória e 141 no interior. Dessas agências, 265 são de banco público: 79 da Caixa, 91 do Banestes, 94 do Banco do Brasil e uma do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), em São Mateus. Os privados somam 57, sendo 13, do Santander, 18 do Itaú, 8 do HSBC, 17 do Bradesco e 1 do Safra.

“Esse movimento crescente mostra o grau de indignação com a falta de diálogo dos banqueiros, que estão tratando com descaso a pauta dos bancários e da sociedade”, afirma o diretor do Sindicato dos Bancários/ES Carlos Pereira de Araújo, o Carlão.

Greve não é só por salário

A greve dos bancários não é motivada apenas por reivindicações econômicas. Os bancários questionam o alto lucro dos bancos, a cobrança excessiva de juros e tarifas e cobram a contratação de mais empregados para atender a população.

No primeiro semestre de 2015 os bancos lucraram de R$ 36,3 bilhões. Esse montante é consequência da exploração do trabalho bancário e das altas tarifas pagas pelos clientes. Segundo a Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), de julho de 2014 para agosto de 2015 os juros anuais do Cartão de Crédito Rotativo e do Cheque Especial passaram, respectivamente, de 308,0% para 403,5% e de 172,5% para 253,2%.

Entre o primeiro semestre de 2014 e o de 2015, o valor total de tarifas pagas pelos clientes aos principais bancos (Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e Caixa) somaram R$ 55,2 bilhões. Outra grande fonte de renda para os bancos é a dívida pública brasileira. Se comparado com o primeiro semestre de 2014, os resultados das instituições financeiras com Títulos e Valores Mobiliários (TVM) cresceram. Os do Itaú cresceram 95,1%, do Bradesco 44,8%, do Santander 64,5%. Juntos, os três arrecadaram 62,6 bilhões com Títulos e Valores Mobiliários.

Atendimento ao público e demissões

Mesmo com os lucros bilionários, nos últimos 12 meses foram reduzidos nos bancos brasileiros 7.107 empregos. As consequências disso são as más condições de trabalho decorrentes do acúmulo de tarefas e da pressão para o cumprimento de metas. Os clientes também se prejudicam, já que a pequena quantidade de bancários é insuficiente para o atendimento da população, gerando longas filas.

E a tendência é o número de bancários reduzir cada vez mais. O Itaú, por exemplo, anunciou que vai avançar na substituição de suas 3.863 agências físicas por agências digitais. Em três anos a instituição financeira pretende fechar 15% das agências físicas. Em 10 anos, a meta é fechar metade. Hoje, 70% dos trabalhadores bancários atuam nessas unidades, cujo fechamento significa a extinção maciça de postos de trabalho.

Imprima
Imprimir