Nova greve geral é marcada para dia 30 de junho

A greve será em defesa dos direitos sociais e trabalhistas, contra as reformas trabalhista e previdenciária, contra a terceirização irrestrita e pelo Fora Temer

As centrais sindicais, entre elas a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, convocam todas as suas bases para o calendário de luta e indicam uma nova greve geral para o dia 30 de junho, em defesa dos direitos sociais e trabalhistas, contra a reformas trabalhista e previdenciária, contra a terceirização irrestrita e pelo Fora Temer.

Dentro do calendário de luta, as centrais também convocam para o dia 20 de junho, quando acontecerá o Esquenta greve geral, um dia de mobilização nacional pela convocação da greve geral. Ficou definida também a produção de jornal unificado para a ampla mobilização da sociedade.

“No dia 30 de junho queremos fazer uma greve geral ainda mais forte do que a do dia 28 de abril, quando a classe trabalhadora começou a creditar na possibilidade de reverter as reformas. Essa crença passou a ser maior ainda com o Ocupa Brasília, no dia 24 de abril, quando cerca de 150 mil trabalhadores e trabalhadoras protestaram na capital federal. Esses dois últimos protestos mostram que o povo está cada vez mais disposto a ir para a luta e que a greve geral do dia próximo dia 30 tem tudo para ter grande adesão”, diz o coordenador geral do Sindicato dos Bancários/ES, Jonas Freire.

Agenda

06 a 23 de junho: Convocação de plenárias, assembleias e reuniões, em todo o Brasil, para a construção da GREVE GERAL.
Dia 20 de junho: Esquenta greve geral com atos e panfletagens das centrais sindicais;
30 de junho: GREVE GERAL.

Com informações da Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Imprima
Imprimir