GT Saúde debate sobre proposta de metodologia para utilização do superávit do Saúde Caixa

Teve prosseguimento na segunda-feira, 24, o debate sobre a proposta de metodologia para utilização do superávit do Saúde Caixa. O assunto foi discutido no GT Saúde. A negociação sobre o tema está garantida em uma Cláusula do aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2014/2015, que garante a discussão sobre a série histórica de superávits […]

Teve prosseguimento na segunda-feira, 24, o debate sobre a proposta de metodologia para utilização do superávit do Saúde Caixa. O assunto foi discutido no GT Saúde. A negociação sobre o tema está garantida em uma Cláusula do aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2014/2015, que garante a discussão sobre a série histórica de superávits consecutivos do Saúde Caixa, inclusive com o acompanhamento de assessoria especializada.

Nos últimos seis exercícios, o Saúde Caixa apresentou superávits na ordem de R$ 70 a 80 milhões. Há necessidade de que os valores acumulados do superávit sejam incorporados ao Fundo de Reserva de Contingência, que pode ser utilizado a partir do terceiro exercício, para melhorias no plano.

“Existem várias melhorias que podem ser feitas, por exemplo, possibilitar que os funcionários e funcionárias dos PADVs, que saíram do plano, retornem para ele. Também reivindicamos valores de pagamento mais atrativos para os profissionais credenciados. Isso torna possível manter os profissionais que já atendem por meio do plano, aumentar o número de credenciados e de especilaidades”, afirma a diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Lizandre Borges. 

Imprima
Imprimir