Sindicato participa da I Conferência Latino-americana de Trabalhadores Bancários, em Lima

Realizada nos dias 27 e 28 de agosto, em Lima, no Peru, a I Conferência Latino-americana de Trabalhadores Bancários reuniu representantes da categoria de países como Brasil, Argentina, Peru, Uruguai, Equador, Colômbia, Panamá, Venezuela e Nicarágua. Entre os brasileiros estavam os diretores do Sindicato dos Bancários/ES Idelmar Casagrande, que representou a Intersindical da Classe Trabalhadora, […]

Realizada nos dias 27 e 28 de agosto, em Lima, no Peru, a I Conferência Latino-americana de Trabalhadores Bancários reuniu representantes da categoria de países como Brasil, Argentina, Peru, Uruguai, Equador, Colômbia, Panamá, Venezuela e Nicarágua. Entre os brasileiros estavam os diretores do Sindicato dos Bancários/ES Idelmar Casagrande, que representou a Intersindical da Classe Trabalhadora, e Carlos Pereira de Araújo, o Carlão, que representou o Sindibancários. Também esteve presente o secretário geral da UIS Finanzas, o indiano CH Venkatachalam.

Durante a conferência foram realizados debates sobre diversos temas que fazem parte da realidade da categoria bancária na América Latina, como a precarização do trabalho, terceirização, privatização e rotatividade no emprego. Outros assuntos debatidos foram a estatização do sistema financeiro e a dívida pública.

“No que diz respeito à dívida pública, achamos que essa discussão é de extrema importância, pois o sistema financeiro, por meio da dívida pública, se apropria das riquezas da América Latina, dificulta a democratização do crédito, o desenvolvimento dos países latino americanos, das economias regionais. É precisar destacar, por exemplo, que no Brasil cerca de 47% do orçamento da união é destinado para o pagamento da dívida pública, sendo que esse recurso poderia ser utilizado no investimento em políticas públicas como saúde e educação”, diz Carlão.

Os participantes do evento também elaboraram um plano de lutas. “Pretendemos realizara atividades em diversos países abordando as temáticas discutidas na conferência. Assim, buscamos estreitar relações de solidariedade entre os bancários da América Latina”, explica Idelmar.

A programação do evento incluiu visitas à Central Geral dos Trabalhadores Peruanos (CGTP) e à Bancada Accion Popular – Frente Amplio. “Outra realidade comum aos trabalhadores da América Latina é a criminalização dos movimentos sociais. A visita à CGTP, por exemplo, teve como um dos objetivos prestar solidariedade ao secretário geral da Central, que está sendo ameaçado de morte”, afirma Idelmar.

Imprima
Imprimir