Itaú: 20 de julho é o prazo para demandar ação sobre ocultação forçada de numerário

O direito de entrar com ação prescreve no dia 18 de agosto, por isso, bancários interessados devem procurar o Sindicato até dia 20 de julho para que a documentação seja preparada

O prazo para bancários e bancárias do Itaú entrarem com ação contra o banco por ocultação forçada de numerário termina no dia 18 de agosto. Por isso, o Sindicato solicita aos empregados que estão na ativa e que se enquadram na ação para procurarem a secretaria jurídica com urgência para atendimento.

O Sindicato só poderá atender os bancários que demandarem ação até o dia 20 de julho, para que haja tempo hábil para a formulação da inicial – documento que dá entrada ao processo na justiça do trabalho.

A ação é referente a prática que ficou conhecida como “dinheiro na cueca”, ocorrida em diversas agências do Estado em 2010, quando os bancários foram forçados a ocultar dinheiro para burlar os oficiais de justiça que cumpriam mandado de busca e apreensão contra o banco.

Caso o bancário seja desligado, a ação deve ser ajuizada em até dois anos após a data do desligamento. Efetivamente, os empregados na ativa teriam apenas até outubro de 2015 para ajuizar as ações, mas o Sindicato dos Bancários/ES entrou com processo coletivo em 19 de agosto de 2013, distribuído sob o n° 0118600-97.2013.10, o que garantiu a extensão do prazo até agosto de 2018.

“O Sindicato está à disposição dos bancários e bancárias em qualquer situação de violação dos direitos da categoria. Esse fato foi um dos atos absurdos cometidos pelo banco, que ainda insiste em desrespeitar os empregados”, enfatiza o diretor do Sindibancários/ES e bancário do Itaú, Robson Gusmão.

Faça contato com a secretaria jurídica do Sindicato pelos telefone 3331-39989 ou 3313-9988. Você também pode enviar um e-mail para o endereço: juridico@bancarios-es.org.br .

Imprima
Imprimir