Itaú divulga lucro referente ao ano de 2014

Nesta terça-feira, 03, o Itaú Unibanco anunciou que, em 2014, obteve um lucro 29% maior do que no ano de 2013. Ou seja, aumentou de R$ 15,696 bilhões para R$ 20,242 bilhões. No quarto trimestre do ano passado o Itaú teve lucro de R$ 5,52 bilhões, contra R$ 4,646 bilhões no mesmo período de 2013, […]

Nesta terça-feira, 03, o Itaú Unibanco anunciou que, em 2014, obteve um lucro 29% maior do que no ano de 2013. Ou seja, aumentou de R$ 15,696 bilhões para R$ 20,242 bilhões. No quarto trimestre do ano passado o Itaú teve lucro de R$ 5,52 bilhões, contra R$ 4,646 bilhões no mesmo período de 2013, segundo informações divulgadas pelo banco.

Não é somente no que diz respeito ao lucro que os índices do Itaú são altos. Os números também são elevados quando se trata de demissões. Em 2013, a instituição financeira dispensou 2.734 funcionários. “O lucro cresce a cada ano e a contrapartida que recebemos é demissões, sobrecarga de trabalho e outros problemas”, afirma o coordenador geral do Sindicato dos Bancários/ES, Carlos Pereira de Araújo, o Carlão.

Ele destaca, ainda, que além de não valorizar os bancários e bancárias, o Itaú não investe em políticas públicas. “O que vemos é o Itaú fazer ações de marketing disfarçadas de contrapartida social com o único objetivo de se autopromover”, relata Carlão.

Bradesco

O Bradesco foi o primeiro banco a divulgar o lucro líquido referente ao ano de 2014. De acordo com a instituição financeira, esse valor é de R$ 15,089 bilhões, o que corresponde a 25.6% a mais em relação aos R$ 12 bilhões registrados em 2013. Entre os fatores que impulsionaram o aumento exorbitante do lucro do Bradesco é o favorecimento dos últimos governos ao rentismo do setor financeiro.

“Vários bancos, entre eles o Bradesco, são credores da dívida pública. O favorecimento dados aos bancos se dá, entre outros motivos, pelo fato dessas instituições financeiras serem grandes financiadoras das campanhas desses governos que saíram vitoriosos nas última eleições, inclusives as do PT”, afirma o diretor do Sindicato dos Bancários/ES, Fabrício Coelho.

Segundo a diretora do Sindicato, Lucimar Barbosa, o Bradesco também aumenta sua lucratividade por meio da não contratação de funcionários, que diminuem drasticamente o quadro de bancários e bancárias, precarizando o atendimento ao cliente. Ela destaca, ainda, a imposição de metas, que culmina no assédio moral e no adoecimento dos trabalhadores e trabalhadoras.

 

Imprima
Imprimir