Itaú tem lucro de R$ 18,6 bi no terceiro trimestre

Alta taxa de lucratividade não representa para o país uma saída da recessão

O Itaú, maior banco privado do país, obteve Lucro Líquido Recorrente de R$ 18,6 bilhões de janeiro a setembro de 2017, de acordo com análise do balanço do banco feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O crescimento foi de 13,9% em relação ao mesmo período do ano anterior e de 1,4% em relação ao segundo trimestre deste ano. Já a rentabilidade (Patrimônio Líquido Médio Anualizado – ROE) foi de 21,7%, com alta de 1,7 pontos percentuais em 12 meses.

O total da carteira de crédito do banco sofreu uma redução de 4,9% em relação a setembro de 2016, atingindo R$ 575,2 bilhões (no trimestre a retração foi de 2,1%). As operações com pessoas físicas recuaram 1,8% em doze meses, chegando a R$ 179 bilhões e permaneceram estáveis no trimestre. Já as operações com pessoas jurídicas alcançaram R$ 162,1 bilhões, com redução de 10% em doze meses e 5,6% no trimestre.

A receita do banco com prestação de serviços e tarifas bancárias apresentou crescimento de 7,1% no período, totalizando R$ 26,3 bilhões. As despesas de pessoal, por sua vez, permaneceram praticamente estáveis, com pequena queda de 0,2%, atingindo R$ 16,3 bilhões.

A análise do Dieese aponta ainda que o Itaú Unibanco Holding  abriu 26 agências digitais e fechou 141 agências físicas no país em doze meses, demonstrando que o lucro da instituição tem origem na exploração de seus trabalhadores e clientes, que convivem com condições de trabalho cada vez mais precarizadas e pagam por altas taxas de serviços. 

Com informações da Contraf

Imprima
Imprimir