Jacob Gorender: um legado de lutas

Jacob Gorender, um dos mais respeitados intelectuais da esquerda brasileira, faleceu nesta terça-feira,11, aos 90 anos. Sua vida foi marcada por estudo, lutas políticas e uma vasta produção acadêmica. Em seus diversos livros, artigos e ensaios, ele apresentou ideias até então inéditas sobre o Brasil e sua formação socioeconômica.  Gorender esteve no Espírito Santo no […]

Jacob Gorender, um dos mais respeitados intelectuais da esquerda brasileira, faleceu nesta terça-feira,11, aos 90 anos. Sua vida foi marcada por estudo, lutas políticas e uma vasta produção acadêmica. Em seus diversos livros, artigos e ensaios, ele apresentou ideias até então inéditas sobre o Brasil e sua formação socioeconômica. 

Gorender esteve no Espírito Santo no ano de 1992 participando de um seminário promovido pelo Sindicato dos Bancários/ES, onde realizou o lançamento do livro Marcino e Liberatori.

A trajetória de Jacob Gorender se mistura a alguns dos principais acontecimentos do país no século 20. Gorender nasceu num bairro pobre de Salvador, onde cresceu e estudou até entrar na Faculdade de Direito e no PCB. Como todos os jovens estudantes comunistas, defendia a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Foi além do verbo e alistou-se, com outros companheiros. Na Itália, participou da tomada do Monte Castelo, a mais importante batalha enfrentada pelos pracinhas da FEB, a Força Expedicionária Brasileira.

De volta à Bahia, Gorender retomou o curso de direito que deixou logo adiante para militar profissionalmente no PCB. Chegou a ser membro do Comitê Central do partido que rachou em 1967, quando saiu para fundar o PCBR, o Partido Comunista Brasileiro Revolucionário. Como jornalista, escreveu e dirigiu as principais publicações comunistas: Classe Operária, Imprensa Popular e Voz Operária. Foi preso e torturado depois do golpe de 1964. Com quase quarenta anos de participação e influência no movimento comunista, teve quase uma dezena de livros publicados. Jacob Gorender, intelectual reconhecido e historiador polêmico, abriu com sua obra novos capítulos na história do Brasil.

Com informações do Brasil de Fato e Correio do Brasil

Imprima
Imprimir