Lucro do Bradesco no primeiro semestre sobe 13% em relação a 2016

Aumento dos lucros está diretamente relacionado ao aumento da exploração dos trabalhadores bancários.

O Bradesco obteve no primeiro semestre de 2017 um lucro líquido de R$ 9,352 bilhões, resultado 13% maior do que o atingido no mesmo período de 2016, de R$ 8,274 bi. Para alcançar as bilionárias taxas de lucro num cenário de crise econômica o banco tem lançado mão de políticas de austeridade com seus empregados e de imposição de altas taxas a seus clientes.

De acordo com análise divulgada pelo Dieese um dos fatores de impulso para a taxa de lucro foi o aumento das receitas com as tarifas cobradas aos clientes por prestação de serviços – medida responsável pela elevação de 16,9% da receita em doze meses.

O relatório mostra também que o lucro obtido só não foi maior em função do aumento das despesas com pessoal, influenciada pela integração dos funcionários originários do HSBC, adquirido pelo Bradesco em 2016, mas isso não significa que o número de empregos tenha aumentado.

No período em que o HSBC foi incorporado ao grupo financeiro 4.779 postos de trabalho foram cortados, já em julho deste ano a instituição lançou o Plano de Desligamento Voluntário Especial (PDVE), que deve aumentar ainda mais os desligamentos do banco.

Para mais informações acesse a análise do Dieese.

Com informações da Contraf.

Imprima
Imprimir