Lucro do Santander Brasil cresce 13% em 2015

O Santander foi o primeiro banco a divulgar o lucro referente ao ano de 2015, que segundo a instituição financeira aumentou 13,2% em relação a 2014, chegando ao total de 6,624 bilhões. O banco alcança o crescimento do lucro mesmo em meio a crise financeira que assola o país. No entanto, esse balanço financeiro altamente […]

O Santander foi o primeiro banco a divulgar o lucro referente ao ano de 2015, que segundo a instituição financeira aumentou 13,2% em relação a 2014, chegando ao total de 6,624 bilhões. O banco alcança o crescimento do lucro mesmo em meio a crise financeira que assola o país. No entanto, esse balanço financeiro altamente positivo é obtido às custas dos empregados, que são submetidos a sobrecarga de trabalho e convivem diariamente com a pressão e com o fantasma da ameaça de demissões.

“Para alcançar altos lucros, o Santander não mede as consequências e impõe uma gestão que adoece seus empregados e penaliza seus clientes com as elevadas tarifas e taxas de juros. Demissões, sobrecarga de trabalho e pressão para bater metas fazem parte do cotidiano dos empregados do Santander. Isso é inaceitável e continuamos lutando para que os direitos dos bancários sejam respeitados, com o fim das metas e demissões.”, enfatiza a diretora do Sindibancários/ES, Cláudia Garcia. 

Ainda de acordo com dados do Santander, no quarto trimestre do ano passado o lucro líquido foi de R$ 1,697 bilhão, o que corresponde a uma alta de 5,7% sobre o mesmo período de 2014. A carteira de crédito ampliada do banco encerrou o ano de 2015 em R$ 330,946 bilhões, o que representa um crescimento de 6,6% em relação ao fim de 2014 e uma queda de 0,3% no trimestre.

As despesas líquidas de provisões para crédito de liquidação duvidosa (PDD) somaram R$ 2,762 bilhões, alta de 12,8% em relação ao terceiro trimestre. Apesar do aumento, a inadimplência da carteira de crédito, considerando atrasos superiores a 90 dias, ficou estável em 3,2% no trimestre e teve queda de 0,1 ponto percentual ante o fim de 2014.

A margem financeira bruta do banco foi de R$ 7,384 bilhões no quarto trimestre, alta de 5,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Na comparação com o período de julho a a setembro de 2015, houve queda de 3,2%. O retorno sobre o patrimônio líquido médio anualizado (ROE) do Santander Brasil foi de 12,4% no quarto trimestre. No ano, o retorno foi de 12,8%, 1,3 ponto percentual acima do resultado de 2014.

Lucro societário mais do que triplica no ano

Em todo o ano passado, o lucro contábil foi de R$ 6,998 bilhões, com alta de 223,8% sobre o ano anterior. A carteira de crédito bruta recuou 0,38% no quarto trimestre e subiu 6,3% no ano, para R$ 260,988 bilhões. Excluindo provisões para créditos de liquidação duvidosa, que somaram R$ 16,832 bilhões, a carteira fechou 2015 em R$ 244,156 bilhões.

O Santander Brasil encerrou 2015 com patrimônio líquido de R$ 54,819 bilhões, redução de 4,36% no ano, e ativos totais de R$ 677,454 bilhões (alta de 14,83%).

Com informações do Valor Econômico

Imprima
Imprimir