Lucro dos maiores bancos no Brasil supera R$ 29 bilhões no primeiro semestre do ano

Mais uma vez, os seis maiores bancos que atuam no Brasil apresentaram, no primeiro semestre de 2013, lucros líquidos bilionários. Isso é o que mostra uma avaliação realizada pelo Dieese, divulgada nesta terça-feira, 1°. Em junho de 2013, a soma dos valores alcançados chegou a R$ 29,6 bilhões, um número 18,2% maior na comparação semestral.Destaque […]

Mais uma vez, os seis maiores bancos que atuam no Brasil apresentaram, no primeiro semestre de 2013, lucros líquidos bilionários. Isso é o que mostra uma avaliação realizada pelo Dieese, divulgada nesta terça-feira, 1°. Em junho de 2013, a soma dos valores alcançados chegou a R$ 29,6 bilhões, um número 18,2% maior na comparação semestral.Destaque para o Banco do Brasil, que quase dobrou a sua arrecadação se comparado ao mesmo período do ano passado, e, sozinho, é responsável por R$ 10 bilhões deste valor total.

Além do alto lucro, o elevado corte de postos de trabalho nos bancos privados também foi destaque no primeiro semestre deste ano. Em 12 meses, o número de trabalhadores teve queda de 0,9%, passando de 460.396 para 456.203. Esse processo de demissões vem sendo observado desde meados de 2012.

O resultado da avaliação vai ao encontro do que a categoria bancária já vem denunciando, afinal, enquanto os banqueiros apresentam lucros bilionários, os bancários permanecem sem condições de trabalho e adoecendo em função das metas e da pressão cotidiana. Os clientes também sofrem ao enfrentar agências sem estrutura e sem funcionários suficientes.

Os bancários, que estão em Campanha Salarial desde agosto, já levam a greve para sua terceira semana e, até agora, o que vêem é a negativa da Federação Nacional dos Bancos em negociar. Nenhuma proposta que atendesse às reivindicações da categoria, tanto nas cláusulas salariais como nas sociais, foi apresentada. “Enquanto isso, seguimos mobilizados na greve, que já é a maior dos últimos 20 anos em relação ao número de agências paralisadas no País. A nossa luta é por dignidade e sabemos que os bancos têm condições de atender às reivindicações, os altos lucros comprovam isso”, afirma o coordenador geral do Sindicato dos Bancários/ES, Carlos Pereira de Araújo (Carlão).

Lucros e rentabilidade

O Banco do Brasil conseguiu no primeiro semestre de 2013 o maior resultado obtido por um banco na história do sistema financeiro nacional – 10 bilhões. O segundo maior lucro foi do Itaú Unibanco, R$ 7,1 bilhões. Esse resultado representou crescimento de 0,9 % em relação ao desempenho do banco no primeiro semestre de 2012. A Caixa Econômica registrou lucro líquido de R$ 3,1 bilhões, obtendo expressivo crescimento de 10,3% na comparação semestral. Já o Bradesco viu o seu lucro passar de R$ 5,7 bilhões para R$ 5,9 bilhões, no mesmo período.

Os Bancos Santander e HSBC apresentaram queda nos lucros. O Santander obteve lucro líquido de R$ 2,9 bilhões, com redução de 9,8%, enquanto o HSBC teve queda de 24,5% nesse resultado, atingindo R$ 454,7 milhões.

Os resultados apresentados, mesmo se tratando dos bancos que apresentaram queda nos lucros, ainda indicam patamares elevados se comparado com os grandes bancos internacionais. Segundo dados da Economática, três bancos brasileiros (Bradesco, BB e Itaú Unibanco) lideraram o ranking em rentabilidade entre os gigantes da América Latina e EUA em 2012, e, neste ano, seguem pelo mesmo caminho.

Bancos privados cortam postos de trabalho

A onda de demissões continua, só no primeiro semestre de 2013 foram fechadas 4.193 vagas, sendo a maioria nos quatro bancos privados. Somente o Itaú Unibanco, de junho de 2012 a junho de 2013, reduziu seu quadro de funcionários em 4.458 postos. Juntamente com Bradesco, HSBC e Santander, no período, foram cortados 10.514 empregos nos bancos privados. O Banco do Brasil, que mantinha certa estagnação no quadro de empregados, apresentou na avaliação saldo negativo de 276 postos no período.

Imprima
Imprimir