Mais de 40 mil servidores públicos capixabas paralisam atividades

Os serviços públicos estaduais amanheceram paralisados em todo o Espírito Santo nessa quinta-feira, 13 de agosto. Mais de 40 mil servidores aderiram à paralisação geral e estiveram concentrados em frente às suas unidades de trabalho (secretarias, órgãos, autarquias, fundações e empresas públicas), em atos contra o governo do Estado. As principais autarquias e secretarias tiveram […]

Os serviços públicos estaduais amanheceram paralisados em todo o Espírito Santo nessa quinta-feira, 13 de agosto. Mais de 40 mil servidores aderiram à paralisação geral e estiveram concentrados em frente às suas unidades de trabalho (secretarias, órgãos, autarquias, fundações e empresas públicas), em atos contra o governo do Estado.

As principais autarquias e secretarias tiveram seus serviços paralisados, como as Ciretran’s da Grande Vitória, 78 unidades do Idaf, 100% dos escritórios e fazendas do Incaper no interior, setor de Biometria do Detran, Iema, Instituto Jones, IPAJM, Ceturb, Polícia Civil, área administrativa do Iases, Secretaria da Fazenda, Hospitais Estaduais, Prodest, DER, Junta Comercial, servidores do Judiciário.

O funcionalismo capixaba reivindica a revisão geral anual com base na inflação do período, a definição de uma data-base para reajuste anual, a regularização da concessão do auxílio-alimentação para as categorias que não recebem tal benefício e a criação de uma mesa permanente de negociação com o governo, conforme determina a Lei Complementar n.º 46/1994.

O coordenador do Sindicato dos Bancários/ES, Jessé Alvarenga, destaca que a entidade acha necessária as mobilização realizada pelos servidores. “O funcionários públicos estaduais têm o nosso apoio. Eles vêm sofrendo há anos com a defasagem salarial e nem sequer têm uma database. Inclusive essa é uma de suas principais reivindicações”, afirma Jessé. Ele ressalta que a luta dos servidores beneficia toda a população capixaba.

“Quando os funcionários públicos são valorizados quem ganha não é somente esses trabalhadores, mas também, todos usuários do serviço público. O servidor é uma das peças fundamentais para a manutenção do serviço público de qualidade”, declara o coordenador geral do Sindibancários.

Os atos públicos são organizados pelo Fórum das Entidades dos Servidores Públicos do Espírito Santo (Fespes), composto por 19 sindicatos, entre eles o Sindicato dos Bancários/ES, e associações representativas dos servidores da Saúde, Segurança, Fazenda, Judiciário, Legislativo, Ministério Público, além dos demais órgãos do Estado.

Greve

A paralisação desta quinta-feira é um indicativo para uma greve geral dos servidores, que deverá ser deflagrada nas próximas semanas. Isso porque o governo do Estado não cumpre o prazo legal determinado pela lei de greve (n° 7.311/2002) para abrir a negociação, tão pouco atender às demandas do funcionalismo público.

 

Com informações do Sindipúblicos

Imagem: Sindipúblicos

Imprima
Imprimir

Comentários